Colunas

Um dos raros momentos de alegria da tenebrosa temporada passada foi quando o Manchester United anunciou a contratação de Juan Mata, que sofria com a falta de oportunidades no Chelsea, já que Mourinho o largava frequentemente no banco de reservas, e sua vinda para o maior time da Inglaterra com certeza foi vista com bons olhos pelos torcedores mancunianos. Fomos abençoados com o maravilhoso presente do tio Mou, e assim que o MUFC divulgou a boa nova, fizemos o nosso dever de agradecê-lo e exaltamos inúmeras vezes sua enorme generosidade.

O espanhol saiu melhor que encomenda e caiu como uma luva na equipe do até então treinador David Moyes. Seu brilhante futebol fez a diferença e tentou tudo que pôde para nos levar às competições europeias, mas como uma andorinha só não faz verão, não conseguimos sair da sem graça sétima posição na tabela de classificação da Premier League. Todavia, como muitos dizem, o que vale é a intenção, então devemos valorizar os gols que o meio-campista fez a nosso favor.

Para 2014/2015, Louis van Gaal e Ed Woodward capricharam na lista de contratações. Nomes como Ander Herrera, Daley Blind (taxado como coringa do técnico holandês) e Angel di María são reforços para o meio-campo. Após a Deadline Day, vários Red Devils montaram seus times com os devidos titulares e Mata nem foi lembrado.

Tanto no Twitter como nos grupos do Manchester United que participo no WhatsApp, li as mensagens sobre o hispânico e não me agrada a forma como muitos torcedores o vêm tratando. Juan Mata não é jogador qualquer para ser deixado e esquecido de lado. O que mais me impressiona é que janeiro nem chegou ainda e já o enxergam como moeda de troca para a próxima janela de transferências, sendo que estamos apenas no final de setembro.

Muito se fala também do possível retorno do melhor jogador do mundo atualmente, Cristiano Ronaldo, para o United e eu pergunto para você, leitor: para quê? No momento não precisamos dele, e muito menos dos modinhas que seguem o português para cada clube que o craque joga. Ele que continue naquele odiável time que atua.

Juan é um atleta com espírito de grupo (diferente de Rooney), que respeita clube, torcida, treinador, companheiros, tenta colaborar toda vez que está em campo, além de ser uma ótima pessoa com grandioso caráter e excelente profissional. É uma honra vê-lo em nossa equipe e não gostaria que fosse embora por conta da falta de espaço ou bobagem sobre a volta de CR7 para tumultuar o ambiente.

Felizmente Van Gaal sabe da capacidade do meio-campista espanhol e provavelmente pode deixá-lo com o sentimento de valorizado, assim como fez com todos os jogadores holandeses que convocou para a Copa do Mundo. A infantil expulsão de Wayne Rooney diante do West Ham no último sábado foi boa para Mata, que voltará a ser escalado entre os 11 iniciais para a próxima partida.

Esta é uma simples coluna, porém queria fazer um simples pedido aos Red Devils: reflitam e pensem com cuidado quando escrever ou falar do cara da minha postagem de hoje. A indiferença em relação à Mata me entristece, pois como já citei, é uma pessoa de muitas qualidades e merece nosso respeito. E como diz o título, a ingratidão não deve ser dada a quem não merece.

Por Letícia Wincler
www.mufcbr.com

Comentários