Colunas

Martial chegou em 2015 com grande expectativa, pelo menos para mim. O acompanhei no Mônaco e gostava muito do que assistia, era um jogador muito rápido, ótimo no um contra um e com bom faro de gol. Ou seja, tinha tudo para que quando amadurecesse, se tornasse um grande jogador. Em todas essas temporadas em Manchester, acredito que em na ultima e na atual são as melhores chances de Anthony assumir a responsabilidade e mostrar de fato que ele saiu de promessa para grande jogador.

Na temporada passada, o francês jogou 38 partidas e contribuiu com 12 gols e 3 assistências. Já na temporada atual, o jogador entrou em campo em 25 oportunidades e marcando 11 gols e 4 assistências, o que mostra uma razoável melhora. Mas pelo menos na minha opinião, Martial tem qualidade para ser muito mais importante, ter números e protagonismo de um Marcus Rashford, por exemplo.

Eu enxergava nele um grande potencial. Deveria estar com o protagonismo de Rashford, o que está longe de acontecer. Martial continua a apresentar os mesmos problemas de sempre como: displicência, falta de intensidade, passividade. O tempo passou e o atacante francês não evoluiu o bastante para ser um homem de confiança em um time do tamanho e grandeza do United.

Resumindo, a cada jogo que passa eu tenho menos esperança no jogador, não espero mais um Martial protagonista, que era justamente o que eu imaginava dele. Não confiaria minha camisa 9 a um jogador como ele. Pode ser muito útil, claro, mas não como peça chave. 

Comentários