O tridente

A Premier League está de volta. Viradas sensacionais, golaços, atmosferas fantásticas e gigantes sofrendo contra times menores. Preparem-se para o melhor campeonato de futebol do mundo. Considerando os elencos atuais e campanhas recentes, visualizamos ao menos 6 clubes candidatos diretos ao título. Essa temporada promete, sim, ser uma das mais disputadas dos 25 anos de história da liga.

Diante de tal contexto, assistimos ao Manchester United estrear contra o West Ham com uma excepcional vitória de 4×0. O time não ofereceu espaços ao rival, foi absoluto em todos os setores e contou com uma estreia brilhante de seu novo atacante, Romelu Lukaku, além de uma impecável atuação de Nemanja Matic. Em cenário empolgante, os torcedores já especulam as probabilidades desse elenco levantar a taça tão cobiçada e quais seriam as peças titulares do XI. Trago-lhes, aqui, qual deve ser o elenco titular doravante.

E são:
David De Gea; Daley Blind, Victor Lindelof, Eric Bailly, Antônio Valencia; Ander Herrera, Nemanja Matic, Paul Pogba; Anthony Martial, Romelu Lukaku, Henrikh Mkhitaryan.

» A  sólida defesa

No setor defensivo, deveremos apresentar um fundamento que José Mourinho preza indiscutivelmente desde os tempos de Porto: solidez.

David De Gea é, para o colunista que vos escreve, o melhor goleiro do mundo há ao menos duas temporadas. O arqueiro espanhol, já consagrado na Premier League, certamente nos servirá à altura.

Bailly, fantástico zagueiro marfinense, foi um dos pontos altos da última campanha, apresentando potencial futebolístico para ser um world class almejado. O mesmo formará dupla com Victor Lindelof, promissor defensor português, que, mesmo havendo sido afastado da primeira partida por fatores de adaptação, é possuidor de um talento visível e, nas palavras do próprio Special One, “não nos decepcionará”.

As laterais ainda apresentam certas dúvidas, muito pela incerteza dos laterais-esquerdos. Antônio Valência, talvez o mais consistente desde que Mourinho assumiu o comando da equipe, é quase unanimidade para os fãs e cumpre bem todas as suas funções. Já acerca do holandês Daley Blind, muito se questiona as suas aparições em grandes jogos e imprecisões defensivas. Entretanto, deve-se enfatizar a tamanha classe e capacidade de realizar passes longos que Daley carrega consigo, tornando-o um exemplar playmaker. Além do mais, este certamente agradou o treinador no jogo de debute, o que contribuirá caso tal consistência mantenha-se.

» O meio-campo

O setor mais vistoso e, nitidamente, mais importante do nosso sistema tático. Ótimas aquisições e resultados excelentes. Analisemos:

Um trio desconcertante. Essa frase será, decerto, o resumo dos nossos três meio-campistas. O basco Ander Herrera, jogador mais importante da Era Mourinho até então, é quase um ídolo para os Devils. Admirador assumido do clube mancuniano, o “Cara de Mourinho” será o motor do grupo nessa temporada, esboçando excepcionais qualidades agressivas e defensivas.

Já o sérvio Nemanja Matic, ex-chelsea, pode ser o fator mais alto da temporada. Analiso-o mais profundamente aqui. Conquistando a admiração de todos logo nas primeiras partidas, o melhor central-defensive-middlefielder das últimas quatro temporadas na terra da rainha será o ponto de equilíbrio do esquadrão. Genial nas interceptações e desarmes, surpreendente na saída de bola e remodelado nos requisitos ofensivos. Nemanja é precioso.

O mais odiado. O gênio francês. De outro planeta. Ademais os adjetivos, esse é Paul Pogba. O Special One espera que essa venha a ser a forma mais espetacular da carreira de Paul, que, ao lado dos dois volantes citados acima, terá liberdade e criatividade suficiente para assumir o papel de camisa 10 e exibir as suas habilidades da maneira mais genuína. E ele também aguarda isso.

» Os avançados

Por que Anthony Martial? Sabendo que o luso não ofereceu tantas oportunidades ao francês desde que chegou e que Marcus Rashford é escalado frequentemente em sua posição, por que insisto em apontá-lo como melhor opção à titularidade? Resposta: talento puro.

Marcus Rashford poderá nos trazer indescritíveis glórias vindouras, mas ainda é um garoto de 19 anos. Outrossim, deverá ser um camisa 9 versátil e mortal, mas creio que atuar nas pontas há de ser uma preferência esporádica. Lembremos do Martial da temporada 2015-2016, o goldenboy do ano de 2015, o craque de um United defasado por inseguranças e Louis Van Gaal. Mesmo que haja vivido de lampejos nos últimos 10 meses, ele é, atrás de Pogba, o maior talento do elenco. Se Mourinho for sensato, fará a escolha correta.

Mkhitaryan foi sinônimo de irregularidade em seu primeiro ano na Inglaterra. Melhor jogador da Bundesliga na sua última temporada em terras germânicas, o armênio é, tecnicamente, quase inquestionável. Demasiado valioso. É verdade que o vigor físico da PL tornou árdua a adaptação desse jogador. Porém, acompanhando a pré-temporada e os dois jogos oficiais até aqui, induz-se que Mkhi foi um dos destaques da equipe e será, seguramente, a primeira alternativa de José para o flanco direito.

Finalmente, o centroavante de 90 milhões de euros. “Cheguei para fazer gols”, ele disse. E fez. Três na pré-temporada, incluindo um no Derby de Manchester, e dois logo no início de sua jornada em Old Trafford. Caso tudo proceda harmoniosamente, o “tanque belga” será uma figura recorrente nas futuras disputas da chuteira de ouro e marcará época no Theatre of Dreams.

E para você, red devil, quais deveriam ser os jogadores titulares?

Comentários