Colunas

Quem viu De Gea no domingo não acredita no começo difícil que teve no United. Contratado para substituir Van der Sar, tinha a responsabilidade de não só ocupar o lugar do holandês mas também superar a desconfiança da torcida que preferia Neuer ou Stekelenburg na época.

O espanhol tinha como principal defeito a saída do gol e cada escanteio para o adversário era uma aflição. Lances como o contra o Blackburn em 2011(uma saída precipitada num tiro de canto) eram a grande desconfiança dos Red Devils. Em alguns momentos Lindegaard foi titular e muitos até estavam preferindo o dinamarquês como nosso titular. Entretanto, Ferguson não desistiu do garoto que veio do Atlético de Madrid. Os jogos foram passando, ele foi amadurecendo até chegar na temporada passada.

Todos sabem o que passamos na mão do “Chosen One” mas um dos poucos que se salvou foi justamente nosso camisa 1. Eleito o Player of the Year(jogador do ano) pelos torcedores, deixou uma imagem muito positiva e nos deixou confiantes para os próximos anos. Se tornou peça fundamental e quando algum red devil é perguntado qual a escalação que ele acha que vai ser no próximo jogo, muitas vezes nem fala o nome do Big Dave de tão óbvio.

Esse jogo contra o Everton talvez tenha sido a coroação do trabalho desse grande profissional. Pegou pênalti do Baines que até então nunca tinha desperdiçado uma cobrança na Premier League e fez pelo menos outras três defesas sensacionais. Num chute de Osman na sobra do escanteio ele pegou firme aos 86. Aos 90 ficou cara a cara com Osman e espalmou um chute que todos já davam como gol certo. E aos 93 mandoou para escanteio uma bola de Oviedo que iria no ângulo. Quando ser perguntado depois do jogo sobre a chegada em 2011 por £17,8 milhões(quase 70 milhões de reais) ele disse:

“É difícil quando você recebe tantas críticas quanto eu recebi. Mas eu me mantive forte e sempre tentei me manter confiante. Eu amava treinar. Era um grande prazer, então eu só fiz meu trabalho e o fiz com muito esforço. O começo foi muito complicado para mim e para minha família mas quando você joga por um clube como o Manchester United isso é normal. Eu fico feliz que aconteceu pois de alguma forma a crítica te faz mais forte. Ser goleiro é muito difícil e você acaba cometendo erros mas você deve se focar para superar tudo e melhorar.”

Pode ficar tranquilo De Gea, a torcida já te ama e tome cuidado pois se melhorar muito vai acabar estragando. Enquanto isso a Inglaterra continua cantando “De Gea…”, digo, “God save the Queen.”

Por Matheus Garzon
www.mufcbr.com

Comentários