Colunas

Quando a temporada 2015/16 começou, uma mistura de otimismo e esperança era evidente em qualquer conversa de bar em que o assunto envolvia os comandados por Louis Van Gaal. Eu mesmo cheguei a escrever, neste mesmo espaço, que não esperava menos que uma classificação no topo do nosso grupo da Liga dos Campeões, como também, que estaríamos brigando pelo título da Premier League, o que se mostrou duas decepções com o passar das rodadas.

SIM, decepção! Essa é a palavra que define bem o que grande parte dos mancunianos estão sentindo em relação a temporada. Afinal, o problema era o meio campo e foram contratados jogadores para preencher o elenco, assim como na lateral direita com a chegada do Darmian e no ataque com a boa surpresa do francês Martial (melhor jogador do elenco na temporada na minha opinião, calma, explico mais adiante).

Tendo isso em mente, era totalmente justificável o otimismo que inundou o lado vermelho de Manchester, porém, esqueceram de avisar os jogadores (ou grande parte do elenco, pelo menos). Na bela partida contra o West Ham – que, por sinal, seria a mais importante da temporada – os minutos iniciais foram cansativos (para o telespectador) e para um time que dependia apenas de si para se classificar para a UCL, e não só isso, tirar como consequência o maior rival dessa mesma competição, faltou de tudo, mas principalmente: VONTADE!

Como vinha se repetindo rodada após rodada, nossos adversários que procuraram as melhores chances e apenas depois do gol sofrido os Red Devils se lembrariam que necessitavam da vitória para poder jogar a maior competição de clubes do mundo na sua próxima edição. Óbvio que não excluo a culpa do nosso “querido” treinador. O Holandês que abusou das improvisações nessa temporada, provou de vez que não possui o controle do grupo.

Talvez por isso os jogos do United tenham sido cada vez mais dramáticos, com vitórias magras e sem convencer. Temos jogadores de qualidade mas quando chega a hora, além de sonolentos, parecem limitados – com exceção do Martial, que na temporada foi o único que jogou pra cima do adversário buscando sempre jogadas de efeito e fazendo gols.Dessa forma, ficou claro que algo precisa mudar! Não há motivação nesse time para jogar futebol, e não tem Messi no mundo que vá render alguma coisa assim.

A mudança de treinador pode ser a solução, melhorando o ambiente e a mentalidade dos jogadores. Porém, a direção simplesmente não pode mais ignorar a carência de jogadores defensivos de peso que o time necessita para ter solidez. Este setor nos fez perder pontos que fazem extrema falta hoje.  Até lá, vamos buscar a FA CUP e tentar garantir pelo menos a vaga para a Europa League.  (Quem diria..)

Por Paulo A. Ferreira
www.mufcbr.com

 

 

Comentários