Nomes como Fábregas, Bale, Özil, Ronaldo, Ander Herrera e Fábio Coentrão foram especulados como possíveis reforços do Manchester United, mas o único que realmente se concretizou e quase no apagar das luzes, foi o do belga Fellaini.

Nenhuma reclamação quanto a contratação do ex-jogador do Everton, que reforçará muito bem nosso meio-campo, mas apenas o Fellaini não será suficiente para suprir as necessidades de um time como o United, que quer e tem obrigação, por toda sua história e grandeza, de estar entre os primeiros em qualquer competição que dispute.

Começamos o Campeonato Inglês de uma maneira bem irregular. Uma vitória, um empate e uma derrota. Apesar da goleada na estréia contra o Swansea, e os belos gols, não apresentamos um futebol brilhante. Contra Chelsea e Liverpool os placares falam por si próprios.

O rendimento da equipe pode melhorar e é natural que evolua durante o campeonato, mas pelo que vimos nas últimas temporadas, essa melhora nem sempre é suficiente. Precisaríamos de no mínimo, mais dois ou três bons jogadores para deixar a equipe bem servida. E claro, para fazer frente aos rivais que se reforçaram melhor.

Se jogadores como Nani, resolverem voltar a jogar de verdade, nossa situação melhorará um pouco. Precisamos torcer também para que as lesões não atrapalhem.

Ainda temos a nosso favor o peso da camisa, que independente da situação, será sempre gigante, mas é claro que apenas isso não ganhará os jogos e muito menos os campeonatos.

O jeito é torcer muito e deixar essa difícil missão para David Moyes.
O próximo jogo, teoricamente fácil contra o Crystal Palace, não trará tanta tranqüilidade em caso de vitória, a não ser que o time seja extremamente consistente em campo, principalmente porque na quinta rodada iremos enfrentar o City fora de casa.

De início, acho que uma boa vitória contra o City seria capaz de aliviar os corações dos Red Devils, que, aliás, mesmo na falta de contratações e na perda do Ferguson, não deixam de acreditar no time!

Por Larissa Bezerra
www.mufcbr.com

Comentários