ColunasEspecialNotícias

Ibrahimovic:

“Eu nem sempre tinha certeza de que jogaria na Inglaterra, mas quando tomei essa decisão, deixei muito claro que havia apenas um time para o qual jogaria. United

Essa é a equipe com a qual quero brilhar. Essa é a equipe que me cabe.

Claro, eu sempre tive consciência do United. Quem não conhece o United é quem não ouviu o que é futebol. Todo mundo que conhece futebol sabe quem é o United. Lembro-me de observá-los, é claro. Lembro-me de 1999, contra o Bayern de Munique, aquela final louca da Liga dos Campeões. Lembro que Teddy Sheringham entrou e marcou, Solskjaer marcou e eles passaram perdedores do título a campeões em alguns minutos. Claro, vi mais do que 1999.

Eu estava sempre de olho no United, sempre. Lembrava das ondas e ondas de sucesso: Ferguson dominando a Premier League.

E eles estavam sempre nessas camisas vermelhas …

Pensei comigo mesmo: posso carregar essa camisa muito bem porque não é muito pesada para mim

Lembro-me do meu primeiro jogo pelo United.

Tivemos um amistoso contra o Galatasaray, na Suécia.

Ok, você está no meu país agora.

Começo a jogar meu primeiro jogo com o United e, depois de três minutos, marco o gol.

Mesmo que seja apenas um amistoso, você precisa fazer isso. Você precisa se encaixar o mais rápido possível. Quando você chega a um grande clube como esse, não sei quanto tempo eles podem ser pacientes para que você se acomode. Você precisa se instalar o mais rápido possível. Então é isso que eu tentei fazer. Eu trabalhei, tentei fazer o meu trabalho, ainda me adaptei à equipe, à filosofia do treinador e ao clube, e não tive problemas com isso porque sou profissional. Gosto de trabalhar, obtenho instruções, ao mesmo tempo gosto de fazer minhas coisas em que penso – sei – sou bom e tento ajudar a equipe da melhor maneira.

Ainda assim, todo mundo estava conversando, pensando que sabia tudo.

Meu desafio era, na idade em que eu estava, vir para a Inglaterra, onde todo mundo dizia que eu não era bom o suficiente.

Eu gosto dessas coisas porque elas me provocam. Eles me dão adrenalina. Depois de três meses, todos eles estavam comendo suas próprias palavras. Eu precisava de novos inimigos, porque todos os antigos se tornaram meus novos fãs!

Ah, os torcedores do United, a propósito … eles são incríveis. Não estou dizendo isso apenas porque joguei pelo United. Eu sei agora porque estive do lado deles e conheço a sensação que eles dão a você. Não preciso puxar o saco, mas os torcedores foram incríveis. Lembro-me do meu primeiro jogo na Premier League em Bournemouth, marquei e os torcedores ficaram cantando minha música por 45 minutos. Depois de 20 minutos eu estava tipo: pessoal, por favor, não estou em forma. Espere até eu eu estar em forma, espere e veja!

Por dentro, eu estava tipo: Isso é fantástico!

Eles realmente gostaram do que eu fiz e ficaram agradecidos. Esse é o melhor crédito que um jogador pode obter, porque quando você faz algo e recebe a resposta dos torcedore, é incrível. São 50% de tudo o que fazemos. Imagine se você jogasse em estádios vazios, você não jogaria. Em Old Trafford, estava sempre cheio. Sempre. Em todos os jogos fora de casa, eles sempre apareciam, sempre apoiavam.

Quando você recebe esse apoio, faz com que você devolva mais. Devemos isso a eles. Foi isso que me desencadeou, a temporada inteira, não apenas ganhando os troféus, mas é claro que você quer ganhar os troféus.

Lembro-me de estar em Wembley para a final da Copa da Liga e ver camisas do United por toda parte. E o barulho … uau.

Como eu disse, isso desencadeia você. Isso faz você jogar.

Então, naquele dia, eu marquei os dois gols e vencemos o troféu.

Assim como eu disse que faríamos.

Onde quer que eu fosse antes do United, eu vencia, e foi com prazer que aconteceu novamente na Inglaterra. Ganhar está no meu DNA, preciso vencer – essa é a minha mentalidade. Eu odeio perder. Não sou um perdedor ruim, mas odeio e adoro vencer. Eu disse que venceríamos e vencemos dois grandes troféus. Isso fala por si.

Toda aquela primeira temporada no United foi fantástica. Tudo foi. Eu realmente gostei disso. A família estava feliz, todo mundo estava feliz, o clube cuidou de mim e facilitou muito para mim. Eu só precisava aparecer, calçar minhas chuteiras de futebol e me apresentar.

Quando eu era menino, tive uma visão do que queria na minha vida. Você nunca sabe o que vai acontecer, mas eu tive meus sonhos, minha vontade e minha vida se tornou o que se tornou. Muitas coisas provaram que, se você quiser, você conseguirá. Você conseguirá isso. Está tudo nas tuas mãos. Se você não trabalhar para isso, não alcançará seu objetivo. É a minha mentalidade. Gosto dessa pressão porque gosto de dizer antes o que farei, porque realmente acredito nisso. Eu sei que posso fazer isso.

Quando vim para o United e disse que conquistaria a Inglaterra, as pessoas estavam rindo de mim.

Eu não estava brincando.”

Traduzido do site do Manchester United: www.manutd.com

Comentários