Colunas

 

www.fcbarcelona.com.br

Como mencionado na minha última coluna, a grande mídia esportiva segue realizando especulações acerca das contratações vindouras de José Mourinho, que afirmara estar interessado em movimentar os cofres para reforçar o elenco dos Red Devils.

Inicialmente, o francês Antoine Griezmann, do Atlético de Madrid, fora especulado como possível futura compra do clube, que havia acabado de perder o seu camisa 7, Memphis Depay. Entretanto, Neymar Jr, que já teve o nome vinculado às contratações de Louis Van Gaal, voltou a estampar as manchetes com novas especulações: O Special One estaria interessado em “adquiri-lo”.

O futuro camisa 7?

Em meados de 2015, quando Lionel Messi sofreu uma lesão que o afastou dos gramados durante meses, Neymar ascendeu no flanco esquerdo e impressionou o público catalão com atuações vistosas e gols antológicos.

Porém, houve um fator primordial em tais atuações, os quais passaram despercebidos pela maioria dos observadores; Neymar, de cabelo raspado e touca, havia assumido a liderança da equipe com avidez e quase tornou a ausência de Leo Messi imperceptível. Desprezando algumas posturas briguentas do passado, o brasileiro demonstrou ao mundo que tinha potencial de um autêntico World Class e concorreu à Bola de Ouro da Fifa, fato que não se repetiu em 2016 (quando o próprio voltara a ser “apenas” garçom do argentino).

Outro ponto elementar, mas não menos importante, é que o camisa 11 mantém fiel regularidade na Seleção Brasileira, tornando suas ótimas atuações quase cotidianas e já sendo visto como líder do time há anos, além de trajar a lendária camisa 10.

Conclui-se o quê?

Conclui-se, então, que o ponta-esquerda, de maduros 25 anos, procede seu futebol com demasiado êxito quando sendo protagonista do XI titular (não coadjuvante), esboçando personalidade e aprimorando o seu desempenho pessoal. Se o brasileiro virá a Manchester? Só o português sabe… 

Comentários