Colunas

O que Crystal Palace, Arsenal, Hull City e Stoke City têm em comum além de nunca terem ganhado a Champions League? Exato, todos perderam para o United nessas últimas quatro rodadas. Não foram vitórias de encher os olhos mas pelo menos enchem de confiança. Estamos no G4! Nem me lembrava mais da sensação de estar na zona de classificação para alguma coisa. E essa injeção de ânimo que pode fazer a diferença contra nossos próximos rivais.

Infelizmente ainda estamos convivendo com inúmeras lesões. Di María e Rooney não jogaram contra o Stoke depois de saírem lesionados diante do Hull. Até quando eles ficarão de fora? Van Gaal já reclamou do calendário não só por ser puxado na parte física mas também na parte mental pois a maioria dos jogadores, assim como ele, não poderão passar o Natal com a família. LVG não é o primeiro e não será o último a falar do número absurdo de partidas durante as festas de fim de ano mas já é uma tradição na Inglaterra e não há outra opção que não seja aceitar.

Os remendos são inevitáveis. Estamos jogando com Young e Valencia nas laterais e, acredite, está funcionando! Mas quando eu digo funcionar não quero dizer que nosso querido Ashley está dando assistências primorosas ou fazendo gols como aqueles feitos no 8-2 contra os Gunners. Jogando sem erros e ainda salvou uma bola em cima da linha evitando o empate dos Potters no último minuto do jogo. Mas às vezes as lesões podem nos trazer boas novidades como Fellaini. Tinha sido uma sabotagem do Moyes? Chama o Cleverley mas não coloca aquele microfone em campo? Segundo gol dele nessa temporada e tem sido peça fundamental no meio campo Red Devil. McNair e Blackett são outros bons exemplos.

O problema de jogar com uma escalção diferente em cada partida é a falta de um padrão. Apenas o jogo contra os Tigers foi tranquilo. Todos os outros foi um sofrimento até o final. Sempre saímos na frente mas não conseguimos levar o jogo no nosso ritmo. Ao invés de aproveitar o momento do gol e marcar o segundo e terceiro, paramos e esperamos o juiz apitar o final. Por enquanto tem dado certo mas até quando? Não podemos esperar acontecer um empate no último minuto para depois tomar alguma providência. Isso deve ser trabalhado desde já pois o duelo contra o Southampton na próxima segunda-feira é de extrema importância. É para se aproximar de vez dos três primeiros ou, dependendo do resultado contra o Arsenal, passá-los.

Pois está dado o recado: St, Mary’s stadium dia 8/12. É vencer ou ganhar porque depois temos três pontos garantidos contra um time que só porque voltou à UCL estava achando que a vida seria fácil. Fecharemos 6 consecutivas e apenas aumentando.

Por Matheus Garzon
www.mufcbr.com

Comentários