Colunas

Sete meses no inferno. Os diabos vermelhos estavam sentados em seu trono, adormecidos, pacatos, tristes e inofensivos. O inferno em Manchester estava sendo motivo de piada. Eliminação na Carling Cup. Eliminação na FA Cup. Goleado pelo seu maior rival em pleno inferno. Será que os diabos iriam cair mais uma vez perante a sua legião de diabinhos cantando no inferno do Old Trafford? Não foi desta vez que músicas tristes tocaram. Alegrem-se. Preparem as harpas e as melodias de alegria. Os diabos foram para o céu.

19 de março de 2014. Talvez foi a primeira vez que o United chegou ao centro celestial. Claro, estou falando desta temporada. O United sempre foi gigante. Sempre foi um colosso, mas essa temporada a palavra “inferno” vinha sendo mais que um sentido literário. Era um carma. Era dolorosa. Era triste. Mas isso passou. Era a vez do Olympiacos. O céu chegou. Mesmo que seja temporariamente, não importa.

vanpersie_united_olympiakos_afp

RvP, o anjo decaído

O anjo decaído vindo das terras baixas holandesas, Robin van Persie fez questão de abrir suas asas e erguer o United ao céu. Três gols. Que festa. O vinho, as músicas, a comida já estavam sendo preparadas pelos anjos dos Diabos Vermelhos lá no céu. Que divino. O diabo mais experiente, senhor Ryan Giggs mostra quem é o dono do inferno. Valencia é o diabo aguerrido. Mesmo sendo “espancado” no primeiro tempo, mostra raça e é guerreio. De Gea é o diabinho dos milagres e da salvação. Rooney é o maestro do inferno. David Moyes. Ah, David Moyes. Esse sim. É o diabo que, enquanto subia ao céu, deixou cair cerca de 30 pianos que estavam em suas costas. Na hora do terceiro gol na partida contra o Olympiacos você conseguia ver a cara, a feição, o alívio estampado na face de um homem vivendo na sombra de um rei soberano do inferno Manchester, com uma corda na mão, amarrando em seu pescoço.

Mas vamos todos alegrar. Por mais que sejamos Diabos Vermelhos, nunca estaremos tão felizes em ver o céu. Talvez, mesmo com todas as ideologias, o United seja o time de Deus. Mas não pensem que ficaremos no céu por todo tempo não, voltaremos ao inferno, mas é ao inferno antigo, aquele onde ninguém pode pisar ou será executado. Mas enquanto isso, vamos aproveitar a hospedagem, relaxar e principalmente, respirar. Até sexta feira, antes do sorteio, e até o próximo jogo da UCL, vamos aproveitar a estadia celestial. Talvez assim vamos aprender alguma coisa.

Mas não se preocupem, mesmo com o tempo sereno, os Diabos voltaram para casa. Imponente. Forte como sempre. Prontos para fazer qualquer um passar terríveis pesadelos no purgatório.

moyesescolhidogetty

O diabo que vive na sombra do mestre. O escolhido, David Moyes

 

Por: Vinícius Toscano
www.mufcbr.com

Comentários