Desde o final da última temporada, a lista de jogadores especulados como futuras contratações do United é vasta. De goleiros até centroavantes, a mídia esportiva não mediu esforços para linkar todos os nomes possíveis como alvos do gigante de Manchester, até mesmo o ídolo português, Cristiano Ronaldo.

Entretanto, umas das “apostas” mais concretas das últimas semanas é o brasileiro Fabinho, de 23 anos, que atua como volante no Mônaco. Em disputa, Matic, do Chelsea, que também atua na mesma posição, é fortemente tido como um dos interesses dos Devils nessa janela de transferências. Nessa coluna, apresentarei os 5 motivos que me levam a crer que o brasileiro seria uma melhor opção que o sérvio.

1 – Prazo de validade

Diferentemente do brasileiro, o volante sérvio já tem seus 28 anos, além de um histórico de lesões desencorajador. Considerando a idade, Fabinho poderá evoluir significativamente e permanecer em alto nível por ao menos mais 7 temporadas. O custo-benefício mostra-se mais favorável com a vinda do brasuca.

2 – Retrospecto recente

Matic, que perdeu o título de principal volante de contenção com a chegada de Kanté, realizou uma boa temporada com Antônio Conte, isto é fato. Mas, não apenas revezou diversas vezes com o espanhol Cesc Fabregas, como também não apresentou as mesmas qualidades que o fizeram, em 2015, ser um Central Defensive Middlefield badalado, sendo mais contundente auxiliando na armação e, curiosamente, dando passes para gols.

Já o volante do Mônaco, foi o jogador que mais desarmou em toda a Ligue One, sendo, então, um dos principais nomes na campanha do título francês. Ademais, foi espetacular nos embates contra o Manchester City, levando Pep Guardiola a tentar contratá-lo logo após o término da partida. E isso tudo em uma de suas primeiras temporadas como titular.

3 – O fator Pogba

Na sua última season antes de voltar ao Old Trafford, 2015-2016, Pogba atuou como um camisa 10 na equipe da Juventus, armando o time e esboçando o que há de melhor em seu futebol: técnica, precisão e visão de jogo. Em suma, foi o maestro da Vecchia Signora.

Porém, na sua primeira temporada de retorno à Premier League, o talentoso francês atuou como segundo volante na maior parte das partidas, realizando a saída de bola e deixando o “trabalho sujo” para Ander Herrera. Porém, para o colunista que vos escreve, Paul Labile pode ter um rendimento superior voltando a ser escalado como armador e próximo aos atacantes, precisando, para isso, de um volante para formar dupla com Herrera. Tal volante seria Fabinho.

4 – O interesse

Em entrevista ao canal Esporte Interativo, o volante comentou acerca do interesse do clube inglês e, claramente, mostrou-se satisfeito com tal contato, o que nos induz a crer que o jovem ficaria feliz em se juntar a José Mourinho.

5 – A versatilidade

Inicialmente, o cabeça-de-área do Mônaco era escalado como lateral-direito, posição de origem. Mesmo havendo se concretizado como um notável volante desarmador, ele pode ser utilizado pelas laterais em situações esporádicas, oferecendo, pois, um leque de opções superior ao de Nemanja, que praticamente não é escalado distante da linha entre a defesa e o meio-campo.

Em curtas palavras: que venha o brasileiro.

Comentários