O que o Manchester United representa para nós? Não é uma pergunta muito fácil de responder, porque na verdade faltariam palavras para explicar; mas no fundo, mesmo não conseguindo “traduzir” esse sentimento, nós entendemos muito bem o que é amar esse clube e podemos afirmar com convicção que ele representa uma parte muito importante da nossa história.

Quem nunca se sentiu mal por não poder ver um jogo, por menos importância que ele tivesse? Quem nunca sentiu aquele vazio em dias que o time não joga? Sem contar o desolamento com as derrotas e a euforia pelas vitórias. Sou capaz de apostar que muitos torcedores piram nas comemorações, e confesso que estou entre eles.

Tentem se lembrar, por favor, de suas reações naquele 4×3 contra o City, em que Michael Owen fez o gol da vitória no que provavelmente seria o último lance da partida. Ou, nem indo muito longe, pensem em todas as viradas dessa temporada.

E, também entendemos muito bem o quanto as derrotas machucam, sofremos inclusive com coisas que não “presenciamos”. Acredito que eu não seja a única que sente um enorme aperto no coração ao lembrar-se dos Busby Babes, por exemplo. Mas hoje não quero falar de coisas ruins, estou pensando apenas em todas as alegrias que o United já me proporcionou.

Aliás, muita gente diz que é fácil torcer pelo United, por ser um grande clube, estar sempre entre os primeiros, ter grandes jogadores e etc; mas nós também passamos por fases ruins e eu não diria que é fácil, mas que apesar de tudo com certeza é muito prazeroso.

O primeiro jogo que vi do United foi uma derrota, e nesse mesmo dia eu decidi pra quem iria torcer, mesmo não conhecendo os outros times ingleses. A vontade de vencer da equipe e o modo como não desistiram de buscar o gol até o último segundo me conquistou e hoje vejo que não poderia ter escolhido melhor.

É muito bom você sentir orgulho do seu time mesmo em uma derrota. São milhões de vezes melhor você sentir orgulho do seu time em uma vitória. É fantástico você nunca se cansar de ganhar títulos. É lindo você se emocionar com uma partida. E também, é maravilhoso saber que não precisamos de dinheiro árabe, russo ou outro qualquer para sermos grandes.

Para nós, nossa casa é Old Trafford, e mesmo que não possamos estar lá, nunca deixará de ser. Vemos o estádio cheio e a torcida cantando, cantamos junto e nos sentimos parte de tudo aquilo.

E enfim, como dizem, não há distância para o amor. Embora estejamos aqui fisicamente, indubitavelmente nossos corações residem em Manchester.

Comentários