Há pouco mais de um mês, meu amigo Victor Dassiê publicou uma coluna onde defende a permanecia do David Moyes no comando do Manchester, clique aqui e leia a coluna do Victor Dassiê.

Eu, como bom apoiador ao #MoyesOut, decidi escrever uma coluna mostrar quais motivos me levam a querer que o escocês seja demitido ao final da temporada. Porém, como tenho vários motivos, decidi dividir a coluna em quatro partes e publicar semanalmente, uma vez que se fosse publicar num único post, a coluna ficaria enorme e cansativa.

– Confira os dias que as outras duas partes serão publicadas:

– 21/04/2014 – 2º parte
– 28/04/2014 – 3º parte
– 05/05/2014 – Última parte

Agora é com vocês participem, comentando, apoiando ou contrariando, divulgando e mostrando seus pontos de vista. Só peço para não xingar, se não gostou, comenta com respeito ou então não comenta, beleza? Glory, glory Man United…

[divide style=”dots” icon=”square”]

Falar sobre o David Moyes é algo chato, irritante e que considero como perca de tempo. Calma, defensores do #FicaMoyes, não vou falar mal do “promissor” técnico que tem apenas 16 anos de carreira e não conquistou nenhum título, porém não vou deixar de apontar, mostrar e opinar sobre as “grandes conquistas do  David Moyes”.

Fiquei pensando durante vários, antes de escrever, para que tivesse bons argumentos para poder falar sobre o trabalho do grande “Boss” (tá?). Então, decidi fazer como fiz nas colunas sobre o Valencia (1º coluna – 2ºcoluna), decidi mostrar fatos que reforcem meu pensamento. Só um aviso: não vou dizer “Que sou o melhor e quem não concordar comigo faz parte da APAE” não, isso é atitude de pessoas idiotas e que vivem de “achismo”.

O PRIMEIRO ERRO FOI ESCOCÊS 

Não vou iniciar com os erros do David Moyes. Vamos por parte, quero mostrar que a culpa não é exclusiva do Moyes, na verdade existe uma série de erros e, possíveis, culpados, porém não considero que nenhum seja maior do que o primeiro erro. Uma vez que a decisão poderia ser bem mais inteligente.

Eis que um dia, Sir Alex Ferguson decidiu se aposentar, para respirar novos ares, sair da rotina, encerrar um ciclo para que um novo tivesse início. Ferguson sabia que alguém iria ocupar seu lugar, no Manchester United, e deve ter pensado em alguns nomes, porém viu em David William Moyes seu melhor substituto, algo me diz que Ferguson queria uma cópia em seu lugar, afinal William Moyes, assim como Ferguson, também nasceu na Escócia. Ferguson nasceu em Glasgow, enquanto que Moyes nasceu em East Dunbartonshire, que por vez fica a noroeste da cidade do Sir Alex Ferguson.

Outra semelhança é que Moyes, assim como Ferguson, estava há mais de 10 anos no comando da sua equipe. As semelhanças acabam aqui. Sir Alex Ferguson pode ter enxergado em Moyes algo que não viu em Mourinho, técnico que foi bastante ligado ao Manchester United, alguns jornalistas afirmam que o “The Special One” desejava substituir Sir Alex Ferguson. Esse algo que Ferguson enxergou em Moyes e que não viu em Mourinho deve ser algo chamado continuidade, uma vez que Mourinho nunca ficou mais de três temporadas nas equipes que comandou.

Sir Alex Ferguson não gostaria que seu escolhido saísse da equipe após três ou quatro temporadas. Moyes estava há mais de 10 anos no comando do Everton, mesmo sem conquistar nenhum título e nunca ter derrotado Chelsea, Liverpool, Arsenal e Manchester United, jogando fora do Goodison Park.

Mas os detalhes citados não seriam problema para Ferguson, afinal de contas seu escolhido tinha bastante experiência e poderia ser o novo Sir Alex Ferguson. Uma vez que estivesse dentro dos seus critérios: Comandar uma equipe há mais de 10 anos e ser escocês. Os fatos de não ter conquistado nada e não conseguir vencer os grandes fora de casa seriam meros detalhes. A decisão do Ferguson em escolher David Moyes como seu escolhido foi o último GRANDE ERRO do Sir Alex Ferguson. Você deve estar se perguntando: “Sir Alex Ferguson errando?” Claro, Sir Alex Ferguson não é o dono da verdade, ele já fez várias decisões erradas, na verdade, quem nunca errou?

Caso os critérios adotados por Sir Alex Ferguson foram esses, ele demonstrou ser ultrapassado, uma vez que um técnico não precisaria ser escocês e/ou com muito tempo no comando de sua equipe. O perfil que eu gostaria seria o de um técnico com ousado, corajoso, determinado e inteligente. Perdoe-me defensores do David Moyes, mas ele tem um perfil contrário ao que eu citei. E se os critérios adotados por Ferguson não foram esses, vai saber o que se passou na cabeça dele para escolher o David Moyes como seu substituto.

PLANEJAMENTO DEMORADO E/OU RIDÍCULO 

Uma vez que David Moyes foi escolhido e anunciado, o planejamento não deveria ser demorado, e se não foi demorado, foi muito falho. David Moyes deveria pensar em nomes que pudessem reforçar o “atual elenco campeão da Premier League”. Mas algo me diz que a direção e o próprio Moyes esqueceram de definir quais seriam jogadores seriam alvos de investidas e quais seriam negociados. David Moyes foi anunciado no dia 09/05/2013, mas só assumiu o cargo no dia 01/07/2013, ou seja, 53 dias depois. Tudo bem que a Premier League encerrou no dia 19/05, mas a direção e/ou o próprio David Moyes não aproveitaram esse período para definir nada sobre contratações e vendas. Muita gente pode pensar: “Anderson, o Moyes não poderia negociar sem conhecer o elenco”. Concordo com você, mas jogadores como Valencia, Anderson, Cleverley, Welbeck, Evans entre outros, são jogadores limitados e que não acrescentam muito ao elenco.

Outro detalhe é que todos sabem que o time tem muitos jogadores com mais de 30 anos. A média de idade dos defensores (Rafael, Ferdinand, Vidic e Evra), por exemplo, é de 30,5 anos. A média não é maior graças a Rafael que tem 23 anos. Posso estar enganado em relação ao planejamento, ele pode ter sido concluindo no máximo com 3 dias, após a confirmação do Moyes. Mas algumas dúvidas não saem da minha cabeça: “De quem foi a brilhante ideia de contratar Fellaini? “Quem indicou o nome de jogadores como Baines, Koke e Andre Herrera?”. Se a ideia é renovar, qual seria a lógica de contratar Baines que tem 29 anos? Creio que em três temporadas, no máximo, ele não estará com todo seu vigor físico. Koke e Herrera são jogadores desconhecidos, podem jogar muito bem, mas o time precisa de bons jogadores para agora, para o futuro já possuímos jogadores da categoria de base. Já Fellaini é apenas um bom jogador, mas que não passa disso. O belga era o destaque, enquanto que Baines é titular absoluto da lateral esquerda do Everton, time que era treinado por David Moyes. É impressão ou Moyes queria e/ou quer deixar o Manchester United parecido com o Everton?

Falando em Fellaini, o belga atuou em  20 partidas, em um total de 1343 minutos em campo. Não marcou nenhum gol, não deu nenhuma assistência para gol, recebeu 4 cartões amarelos e foi expulso uma vez. É bom deixar claro que o ótimo Fellaini custou 27, 5 milhões de libras ao Manchester United.

MEDROSO E PATÉTICO

Esse sentimento de medroso deve ser herança do Sir Alex Ferguson. Acha um absurdo eu falar que o SAF era medroso? Basta lembrar ou rever a final da Champions League em 2011, quando vi um time apático, sem coragem de atacar e sendo feito de bobo na roda. Outro ponto de destaque é quando o time passou a jogar contra o Manchester City após o vexatório 6X1. Tudo bem que depois disso o time venceu alguns Manchester derby, mas é bom lembrar que sempre após abrir a vantagem de dois gols, o time recuava.

Quando Sir Alex Ferguson anunciou sua aposentadoria acabei me iludindo e esperei por um técnico que fizesse o time jogar para frente, que não tivesse medo de atacar, que mudasse ou, pelo menos, deixasse o velho esquema do 4-4-2 mais ofensivo, o esquema funcionou e funciona algumas vezes, mas precisamos de um esquema ousado e que faça com que o time domine, taticamente, grande parte dos seus adversários fortes e não apenas os mais fracos. Sonhei muito, pois quem assumiu o comando do Manchester United foi David Moyes.

David Moyes é magnifico quando ver que o time está sendo humilhado em campo e não faz nada além de ficar olhando para o campo e passar a imagem de não saber o que fazer. Em alguns momentos demostrar medo em ir na beira do campo e gritar, ou até mesmo em fazer alguma substituição, que acaba sendo melhor do que suas escolhas.

Outro fato, que destaco e é bastante curioso aconteceu durante sua primeira janela de transferência. Moyes, quando perguntado se iria realizar uma reformulação no elenco, geralmente respondia que possuía o atual elenco campeão Inglês e que por isso não precisaria de muitas contratações, porém algum tempo depois, o mesmo David Moyes declarou que:

“Para vencer a Champions, você precisa ter no seu elenco cinco a seis jogadores de nível de classe mundial. Este é o nível que você precisa ter. Ainda não temos isto, mas o que temos que adquirir é experiência”

Cada vez que vejo as declarações do David Moyes, me pergunto a mesma coisa: “Quando esse desgraçado será demitido?”. Pois ao olhar para o elenco e enxergar: Rooney, Van Persie, Kagawa, Carrick, Evra, Vidic, Ferdinand, Rafael, De Gea e Giggs e considerar que esses jogadores não são de nível mundial é algo tão patético quanto querer contratar Koke, Ander Herrera, FELLAINI (foi contratado), Fabio Coentrão e Baines, e com isso ter jogadores de classe mundial. Ele deseja conquistar uma Champions League em 2029? Pois nenhum dos jogadores desejados por David Moyes são, atualmente, jogadores de classe mundial.

Lembram da história sobre qual seria o motivo do empréstimo do Zaha? Segundo jornais ingleses, o jovem atacante teria tido um relacionamento com a filha do chefe. Como o sábio técnico não gostou da notícia, teria castigado Zaha evitando convocar o jovem para as partidas e ainda o liberou para empréstimo, como forma de aumentar o castigo. Prefiro não acreditar que o grande David Moyes foi patético.

Não esqueça de ver a segunda parte da coluna, ela estará no site no próximo dia 21/04/2014, que será uma segunda-feira.

DECISÕES ERRADAS…

Por Anderson dos Santos
www.mufcbr.com

Comentários