Colunas

Era final da Champions League. Manchester United x Real Madrid. Por sabe-se lá que motivos eu não pude ver o jogo, mas pelas mensagens dos amigos pude perceber que o United estava levando sufoco. Entrei em desespero total e fui correndo para casa. De cara já fui ligando a TV. Infelizmente o jogo estava nos segundos finais. Tristeza total… por não ter visto o jogo, porque comemorei feito louca a vitória do United.

A primeira coisa que vi foi um sorriso enorme do Fellaini comemorando seu gol que foi o único da partida. (Se quiserem saber detalhes, foi de cabeça, após um cruzamento do Dí Maria). Logo em seguida a árbitro apitou e aí pronto, comemoração geral, jogadores se matando entre abraços e eu morrendo de alegria e comemorando como nunca.

Só que aí eu acordei. Alegria de torcedor do United já foi “eterna”, mas hoje dura pouco. Saudades imensas de 2007, 2008, 2009. Saudades Van der Sar, Giggs, Scholes, Nani, (quando jogava futebol de verdade) Vidic e Ferdinand em boa fase e até do Cristiano Ronaldo. Sempre bom causar um pouquinho de polêmica. E claro, Sir Alex.

Saudades dos grandes jogos que já fizemos, das goleadas, dos resultados apertados em que jogávamos bem, e até dos que não jogávamos tanto, mas a raça estava no sangue de cada jogador. Hoje, isso está mais para sonho mesmo. Mas olha, sou capaz de jurar por qualquer coisa que é um sonho muito próximo da realidade.

Um gigante como o Manchester United não demora muito para levantar de uma queda. Muito menos assim, uma quedinha à toa, depois de já ter passado por tanta coisa pior. Além de ter um elenco invejável, que na humildade opinião de quem vos escreve está sendo mal aproveitado. Mas isso fica para um outro texto, só espero que esse meu sonho tenha sido uma visão da próxima temporada e que Giggs me ouça!

Por Larissa Bezerra
www.mufcbr.com

Comentários