Competições

» O JOGO

Após sofrer o empate no último lance contra o Everton, o Manchester United virou a chave para enfrentar o West Ham pela quinta fase da FA Cup. Naturalmente as equipes utilizam equipes alternativas nas copas inglesas, porém o confronto entre equipes que estão nas primeiras posições da Premier League trouxe escalações com poucas mudanças e equipes fortes. Contudo o primeiro lance de perigo só aconteceu aos 10 minutos, quando o Martial recebeu passe do Alex Telles e finalizou na saída do Fabianski, contudo o Obgonna fez o bloqueio no momento da finalização e acabou se lesionando no lance.

Os red devils possuíam mais posse de bola enquanto que o adversário buscava diminuir a pressão do United, que muito se mantinha no campo de ataque. Não era fácil encontrar espaços, então os comandados do Solskjaer começaram a arriscar, como aos 19 minutos, com o Matic recebendo passe do Rashford para arriscar de longe, porém chutando para longe do gol. Os arremates começaram a ser travados pela defesa, que no jogo áereo estava dando brechas, quase sofrendo gol do Lindelöf, que aproveitou a jogada de escanteio para cabecear livre, a bola desviou na zaga antes de defendida pelo Fabianski e acerta a trave, aos 26 minutos.

Com dificuldade para recuperar a bola e pressionar ofensivamente, os hammers raramente ficavam no campo de ataque, contudo já conseguiam diminuir a presença adversária próximo a área. O lance mais perigoso nos minutos finais foi na disputa de cabeça dentro da área red devil, quando o Martial e o Diop chocaram as cabeças e foram atendidos em campo, porém voltaram para campo sem nada de grave. O United ainda tentou pressionar, porém não conseguia encontrar brechas, enquanto que o West Ham buscava manter o jogo equilibrado apesar de não conseguir oferecer perigo, nem mesmo conseguindo chegar na área adversária.

» SEGUNDO TEMPO

O West Ham iniciou a segunda etapa jogando de maneira mais ofensiva, mas ainda sem oferecer perigo ao Henderson, enquanto que o United seguia com mais posse de bola, porém com dificuldade para finalizar com perigo, apesar de tido uma boa oportunidade aos 52 minutos, quando o Rashford aproveitou a bola desviada após cruzamento do Greenwood para chutar de primeira, contudo a bola foi bloqueada pelo Fabianski. Os visitantes foi igualando a posse de bola, até conseguir ter mais domínio e criar alguns lances nos cruzamentos, mas que não ofereciam perigo ou deixava a equipe próximo de cabecear.

A partida seguia o clima frio de Manchester e não tinha lances claros de gol, o United com dificuldade para criação, enquanto o West Ham jogando de maneira mais reativa, esperando por um vacilo para conseguir criar um contra-ataque. O primeiro lance perigoso do West Ham aconteceu aos 70 minutos, quando o Wan-Bissaka tentou afastar a bola com um chutão, que foi para trás e foi cortado pelo Dean Henderson. Sem conseguir criar oportunidades pelo meio de campo, Solskjaer colocou Bruno Fernandes de McTominay em campo nos lugares do Matic e do van de Beek, respectivamente.

Nem mesmo com as substituições, o United ganhou força em campo e a partida seguia fraca, uma vez que o West Ham também não conseguia oferecer perigo e o que mais se viu foi as equipes buscando criar algumas chance de gol nos cruzamentos que quase sempre terminavam nas mãos dos goleiros ou eram cortados pelos zagueiros. Solskjaer colocou Cavani em campo, mas a bola não chegava no uruguaio e a neve segui caindo no teatro dos sonhos, enquanto que as equipes não conseguiam apresentar um bom futebol e a partida encerrou sem gols, restando a prorrogação para saber se as redes seriam balançadas.

» PRORROGAÇÃO

A prorrogação começou um pouco mais agitada do que nos 90 minutos, o United chegava com velocidade pelas laterais, mas ainda sem conseguir finalizar com perigo. Quando conseguiu se encontrar na partida, o United abriu aos 97 minutos, após uma boa jogada ofensiva a bola foi levantada pelo Fred para dentro da área, a zaga dos hammers afastou e o Rashford ajeitou para o McTominay chutar de primeira e balançar as redes do Fabianski. O West Ham sentiu o gol sofrido e passou a deixar mais espaços na sua defesa, mas que não eram aproveitados pelos jogadores red devils, que desperdiçaram boas oportunidades para ampliar a vantagem.

Com o placar em desvantagem, os Hammers se aventuraram no ataque, contudo não finalizavam. Sem sofrer pressão e controlando a partida até nos momentos que não estava com a bola, o Manchester United esperava o tempo passar para carimbar a classificação, porém ainda viu a equipe londrina tentar de tudo para pelo menos finalizar. Com muita neve e pouca inspiração, os diabos vermelhos foram controlando a partida e garantiram a classificação, apesar de uma péssima apresentação e necessários 120 minutos de pouco futebol e muita neve no Old Trafford.

Detalhes

Escalações

Manchester United: Henderson, Wan-Bissaka (Williams 90′), Lindelöf, Maguire, Alex Telles (Shaw 90′); Fred, Matic (McTominay 72′); Greewood (Cavani 85′), Rashford, van de Beek (Bruno Fernandes 72′) e Martial

West Ham: Fabianski, Coufal, Dawson, Ogbonna (Diop 15′ (Fredericks 45′)), Cresswell; Noble, Rice; Bowen, Fornals (Benrahma 87′), Soucek e Yarmolenko (Odubeko 53′)

Gol

Manchester United: McTominay (97′)

Comentários