Competições

» PRÉ-JOGO

Embalado pelo último triunfo fora de casa sobre o Arsenal – que colocou a equipe no g4-,  o United recebe o Hull City no Teatro dos Sonhos pela 13ª rodada em busca de mais três pontos no campeonato. A equipe poderá contar com a volta de Falcao Garcia e Marcos Rojo, que voltam de lesão e provavelmente estarão disponíveis para a partida; Blind, Jones, Rafael e Shaw ficam de fora. Já o Hull, por sua vez, terá os desfalques de Abel Hernandez e Gaston Ramirez, e precisará vencer para fugir da incômoda 17ª colocação na tabela.

» O JOGO

A partida começou com entusiasmo e pressão ofensiva do United. Logo no primeiro minuto de jogo, muita reclamação de um toque de mão da zaga do Hull após cobrança de escanteio de Di Maria. A primeira boa chance dos donos da casa não tardou a acontecer: Rooney trouxe a bola da esquerda para dentro e arriscou de longa distância chute cruzado rente à trave de McGregor. Jogando em casa, o United dominava a posse de bola e encurralava o adversário com uma equipe bem ofensiva.

Com meros treze minutos de jogo, a primeira alteração e preocupação: Di Maria sentiu uma fisgada na coxa e deixou o campo para a entrada de Herrera. Na jogada seguinte à alteração, a preocupação dos torcedores por um momento virou êxtase. Após cobrança de escanteio, e um bate rebate dentro da pequena área, Smalling chutou forte e abriu o placar em Old Trafford. 1 a 0.

O United, até então, tinha o domínio completo do jogo. Subiam os então alas Valencia e Young, Carrick auxiliava a saída de bola e os demais à frente movimentavam e trocavam passes entre si a fim de encontrar espaços. Depois de uma troca de passes rápida do United, van Persie recebeu de Herrera na frente de McGregor, contudo, bateu fraco e facilitou a defesa do goleiro do Hull.

Aos 42, um lindo segundo gol da equipe de van Gaal. Mata lançou Herrera que cabeceou para a entrada da área encontrando van Persie, o holandês só ajeitou a bola para chute preciso de Rooney. Sem chances para McGregor. Com isso, o primeiro tempo se deu por encerrado. Controle total da posse e movimentação constante dos jogadores consolidaram a superioridade dos donos da casa e facilitaram a vitória parcial.

» SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa começou com mais briga por parte das duas equipes e, com isso, trouxe algumas entradas mais duras dos jogadores. O Hull veio para pressionar o United, acreditando no empate. Já a equipe de Manchester, aos poucos voltava a controlar a partida e seguia investindo no ataque a partir da movimentação dos atletas de frente.

Aos 56 minutos, apesar do impedimento marcado, vale a citação da jogada: passe magistral de Carrick encontrou um belo peixinho de van Persie, que parou em defesa elástica de McGregor. Quatro minutos mais tarde, foi a vez dos Tigers: em cobrança de falta, a bola alçada na área encontrou cabeçada por cima de Jelavic, sem grande perigo à meta de De Gea-este, solitário telespectador do jogo até então.

Com 66 minutos um gol gigante e um peso de mesmo tamanho tirado das costas de um artilheiro: van Persie recebeu na entrada da área e soltou a perna esquerda no ângulo direito do gol de McGregor- o holandês precisava desse gol para recuperar a confiança perdida em recentes fracas atuações. Após o gol, van Gaal não hesitou em colocar Falcao Garcia em campo e tirou o próprio holandês.

O United continuava atacando e, em troca de passes, Falcao encontrou Mata pela ponta direita, mas o espanhol pegou muito embaixo da bola e jogou por cima. O tempo ia se esgotando, e o Hull não conseguia jogar. Além dos três gols já sofridos, a equipe, desgastada, pouco conseguia fazer e corria atrás da movimentação rápida e dinâmica do United, que controlava o jogo e administrava os três pontos.

Jogo encerrado em Old Trafford. Vitória por 3 a 0 do United trouxe grande atuação da equipe como um todo que, confiante, venceu com tranquilidade os visitantes. Agora os comandados de Louis van Gaal chegam a 22 pontos na tabela( 4º colocado) e fazem sombra aos rivais da cidade, que enfrentam o Southampton fora de casa no Domingo, em duelo direto entre segundo e terceiro colocados.

[divide icon=”square” color=”#000000″]

Detalhes

Escalações

Manchester United: De Gea; Smalling, Carrick, Rojo; Valencia( Fletcher 75′), Fellaini, Mata, Di Maria( Herrera 15′), Young; Rooney e van Persie ( Falcao 69′)

Hull City: McGregor; Chester, Dawson, Davies; El Mohamady, Livermore, Diame( Quinn 74′), Ben Arfa( Aluko 35′), Robertson; Brady( Meyler 74′) e Jelavic.

Gols

Manchester United: Smalling (18′), Rooney (42′), van Persie (66′)

Cartões Amarelos

Manchester United: Fellaini (46′), Rojo (88′)
Hull City: Chester (54′), Dawson(64′)

Por Breno Zonta
www.mufcbr.com

Comentários