Competições

» PRÉ-JOGO

Embalado por uma sequência de oito jogos sem derrota, o United visita a equipe do Tottenham no White Hart Lane. O jogo válido pela 19ª rodada é o segundo da maratona “Natal-Ano novo” que começou dois dias atrás com vitória do United sobre o Newcastle no Boxing Day. A equipe escalada por Louis van Gaal será a mesma que venceu os Magpies sexta e ainda contará com o retorno(para o banco) de Luke Shaw, que estava machucado. Já os Spurs vêm de três vitórias consecutivas – curiosamente as três por 2 a 1 – e precisa vencer para encostar no próprio United (Tem 30 pontos contra 35 dos Red Devils)  e se consolidar na briga pela vaga na próxima Uefa Champions League.

» O JOGO

Repetindo a escalação pela primeira vez desde Novembro de 2012, o United começou a partida com expectativas: positiva pelo fato de a repetição da escalação favorecer o entrosamento da equipe; entretanto, negativa pelo fato da partida anterior ter ocorrido apenas dois dias atrás, e isso poder significar cansaço e desgaste. Com o início do jogo, o United, novamente, prezava pela posse da bola e, mesmo jogando em Londres, dominava as ações iniciais da partida.

Ficava visível o posicionamento de Rooney na segunda linha, como volante que marcava, armava e aparecia nas costas da zaga como elemento surpresa. Foi o que aconteceu com cerca de oito minutos, após lançamento de Mata, no entanto a zaga londrina travou. A primeira chance clara do jogo tardou a acontecer. Mata achou Falcao entrando na área, o colombiano arrumou para a perna esquerda e chutou , todavia fora pressionado e facilitou a defesa de Lloris.

Com 22 minutos, foi a vez de Mata cobrar falta com precisão na trave e, no rebote, a torcida mancuniana quase comemorar com a bola sendo disputada quase na linha do gol dos Spurs. O United crescia no jogo. Dez minutos mais tarde, Falcao recebeu mais um passe de Mata, arrancou pela esquerda e finalizou cruzado, mas Lloris defendeu. Faltando seis para o fim da primeira etapa, após um passe magistral de Carrick, van Persie saiu na cara de Lloris, porém o goleiro francês saiu bem demais do gol e interceptou a finalização do holandês.

No lance seguinte, outro cruzamento pela esquerda de Young achou a cabeça de Wayne Rooney, que cabeceou para baixo para mais uma defesa segura de Lloris. O mesmo Young que da esquerda bateu colocado e quase encobriu o goleiro do Tottenham, que fez belíssima defesa. A primeira etapa terminou com um United superior a maior parte do tempo, concentrando a posse de bola e criando as melhores oportunidades. Seguro, Lloris evitou boas chances da equipe visitante, que precisava de mais para vencer o prélio.

» SEGUNDO TEMPO

 Na volta para o segundo tempo van Gaal sacou Valencia, machucado, e colocou Rafael pela direita. Com a entrada do brasileiro, mais consistência defensiva e um, um pouco menor, ímpeto ofensivo. E foi do brasileiro o passe para a primeira boa chance do United na segunda etapa: Rafael achou Mata pela direita, que cruzou para van Persie, contudo o holandês não aproveitou e arrematou por cima.
Aos 65 minutos, foi a vez de Towsend arriscar de média distância e levar perigo à meta de De Gea, que fez a defesa. Na sequência, Mata teve a chance de abrir o placar, mas desperdiçou: Rafael fez boa jogada de linha de fundo pela direita e cruzou rasteiro, a bola ficou rolando na frente de Mata, que, de perna direita, jogou a bola bem por cima da trave de Lloris.

 O jogo no segundo tempo foi bem mais calmo que no primeiro. As chances foram poucas e lances individuais poderiam fazer a diferença a qualquer momento da partida. Quem marcasse, a essa hora do jogo, provavelmente saíria vitorioso. Aos 78, Ericksen tentou definir em cobrança de falta, De Gea a defendeu seguramente. Na sequência, Kane enfiou lindo passe para Mason, e o volante chutou por cima, perdendo chance incrível.

À medida que o tempo de jogo se esgotava, a partida ficava mais agressiva e mais faltas aconteciam. O Tottenham começou a esboçar uma pressão em cima do United, que há tempos do jogo havia perdido sua boa movimentação ofensiva. O time já estava exausto e não parecia ter forças para algo mais que segurar o empate sem gols.

E foi o que aconteceu. Um 0 a 0 no White Hart Lane, em que o United dominou a primeira etapa e o Tottenham teve melhores chances no segundo. Com o empate, o United ainda é terceiro e pode se distanciar do líder Chelsea, que joga mais tarde. Importante também olhar para baixo, pois a vaga na próxima Champions se faz mais que necessária.

[divide icon=”square” color=”#000000″]

Detalhes

Escalações

Tottenham: Lloris; Chiriches, Fazio, Vertonghen, Davies; Stambouli, Mason; Townsend(Dembele 79′), Eriksen, Chadli( Lamela 79′); Kane

Manchester United: De Gea; Jones, McNair( Shaw 75′), Evans( Smalling 71′); Valencia( Rafael 45′), Carrick, Rooney, Young; Mata; van Persie e Falcao

Cartões Amarelos

Tottenham: Stambouli( 26′), Towsend( 27′)

Manchester United: Young( 50′), McNair( 70′), Falcao( 84′), Rafael(85′)

Por Breno Zonta
www.mufcbr.com

Comentários