Por Rafael Leal
www.mufc.com.br
Em um primeiro tempo em que o Manchester United bombardeou o goleiro Neuer, com todas as suas chances, das 11 finalizações, sete foram para o gol e nenhuma passou da ”muralha” alemã.

Nos primeiros momentos do primeiro tempo o Schalke também teve suas poucas oportunidades, teve chances aos 30 segundos, seis e oito minutos, mas também foi só, a partir de então não mais se ouviu falar de Raúl, Edu ou Farfán, carrascos de Valencia e Inter de Milão nas fases anteriores.

A primeira ótima defesa do goleiro alemão Neuer foi em chute colocado de Rooney, por cobertura, aos 5min, Park até forçou um rebote, mas Chicharito, impedido, não pôde completar para as redes. O mexicano também tentou no minuto seguinte, completando cruzamento rasteiro de carrinho mas Neuer segurou.

A pressão do United seguiu obrigando o goleiro Neuer a fazer defesas milagrosas. Aos 13min, Park achou Hernández livre na grande área, mas o atacante demorou a ajeitar a bola e finalizou já com o goleiro Neuer à sua frente, aos 21, Rooney desarmou um adversário na intermediária e, em rápido contra-ataque, rolou para Chicharito. O mexicano novamente optou pela jogada errada, ao tentar devolver para o inglês, ele estava ”cara-cara” com o goleiro Neuer mas optou por devolver a bola para Rooney que ainda tentou continuar mas não consegui e foi desarmado pelo zagueiro que colocou a bola para escanteio.

A melhor defesa de Neuer estava guardada para os 27 min, Vidic cruzou já dentro da área e Giggs apareceu de surpresa, mesmo com vários jogadores dos ambos times encobrindo sua visão, o goleiro esticou o braço em lance de puro reflexo, a defesa impressionou e fez parecer as restantes, em finalizações de Chicharito, aos 35, e Giggs, aos 44, comuns.

Os times voltaram sem mudanças para o segundo tempo, algo que todos já esperavam, portanto, que algo fosse diferente em campo. Logo com um minuto, Evra desviou de cabeça e colocou Neuer para trabalhar. Aos cinco, Chicharito resolveu “quebrar a muralha chamada Neuer” quando dominou na grande área e mandou para as redes. O gol não valeu – o mexicano estava mesmo impedido –, mas mostrou ao menos que aquela rede poderia balançar.

O United também não se satisfazia com o 0 a 0, mas tinha em campo jogadores não só mais renomados, como capazes de decidir a qualquer instante, mas faltava Neuer deixar. Aos 21min, Rooney mostrou que sua má fase já havia passado e deu um lindo passe para Giggs, livre, tocar na saída do goleiro alemão.

Não houve tempo sequer para Neuer descansar e se concentrar. Aos 23, em outra bela troca de passes, Chicharito ajeitou para Rooney na grande área. O Shrek, nome do jogo, veio no embalo e não desperdiçou.

A confortável vantagem para a partida de volta fez o United abusar da troca de passes. Era dificil ver o Schalke 04 tocar na bola, quanto menos atacando. Com grande atuação, Evra quase deixou o seu aos 43. Com uma ótima atuação do United, a final da Champions League ficou mais perta.

Comentários