Por Rafael Leal
www.mufc.com.br

O Chelsea bem que tentou pressionar o Manchester no início da partida. Com Fernando Torres centralizado, Anelka pela direita, e Malouda na esquerda, os Blues até assustaram Van der Sar nos primeiros 15 minutos de jogo. A partir daí, os Diabos Vermelhos acertaram a marcação e foram donos da etapa inicial.

A primeira chance clara de gol foi do Chelsea. Aos 13, Malouda cruzou da esquerda, Ferdinand raspou de cabeça, e a sobra ficou com Fernando Torres. O espanhol dominou na marca do pênalti e rolou para Anelka. O francês chutou prensado e por pouco não abriu o marcador. A bola passou à esquerda de Van der Sar, que nem se mexeu.

No minuto seguinte, mais uma jogada de Malouda. O francês avançou pela esquerda e tocou para Lampard na entrada da área. O inglês chutou de primeira, e Van der Sar se esticou todo para salvar o Manchester United. E o Chelsea ficou por aí. Com Fernando Torres muito mal na partida, os Blues passaram a ter dificuldades de chegar ao gol do rival por conta da forte marcação. O marfinense Didier Drogba passou toda a etapa inicial no banco de reservas.

Com a marcação afinada, o Manchester passou a pressionar os rivais. Aproveitando-se do mando de campo, os Diabos Vermelhos começaram a assustar Petr Cech. A primeira chance clara dos donos da casa aconteceu aos 26. Rooney avançou pela direita e cruzou. Adiantado em relação aos zagueiros, o mexicano Javier “Chicharito” Hernández cabeceou para o fundo das redes. O árbitro português Olegário Benquerença anulou corretamente o lance.

O Manchester seguiu pressionando, principalmente apoiado nas boas atuações de Giggs, Rooney e Nani, que levavam perigo ao gol do Chelsea. Aos 43, não teve jeito. Após cobrança de falta da esquerda, a zaga dos Blues afastou o lance, e a sobra ficou com o galês Giggs. O jogador tabelou com Vidic, foi à linha de fundo e cruzou para Chicharito. Em posição legal, o mexicano só teve o trabalho de empurrar para o gol e sair para o abraço: 1 a 0.

Na volta do intervalo, o atacante de R$ 133 milhões foi sacado por Carlo Ancelotti. Disposto a dar mais dinamismo ao Chelsea, o treinador italiano tirou Fernando Torres, que ainda não balançou a rede pelo clube, e apostou na entrada de Drogba. Aos 11, o marfinense dominou na entrada, girou em cima de Vidic e soltou a bomba. Van der Sar tentou alcançar a bola, que passou por sobre a meta do Manchester.

Três minutos depois, Drogba novamente assustou os torcedores em Old Trafford. O marfinense cobrou falta, e Van der Sar defendeu no meio do gol. Perdido nas decisões, Ancelotti tirou Anelka e colocou Kalou. Menos um no ataque para uma equipe que precisava de dois gols para alcançar a classificação para as semifinais do torneio continental.

Aos 25, a vida do Chelsea ficou ainda mais complicada. O volante Ramires, que já havia recebido cartão amarelo no primeiro tempo, fez uma falta dura em Nani e acabou expulso. Com um a menos e em busca de dois gols, os Blues começaram a tentar chegar à meta de Van der Sar em lançamentos longos de Lampard.

E foi justamente em um bola longa que o Chelsea chegou ao empate, aos 31 minutos. Lampard fez um belo lançamento para Drogba, que se livrou da marcação e tocou na saída de Van der Sar: 1 a 1. Nem deu tempo de alimentar esperanças. Na saída de bola, o Manchester fez o segundo. Giggs recebeu na entrada da área e percebeu a entrada do sul-coreano Park nas costas de Ivanovic. O jogador só teve o trabalho de tocar na saída de Cech, para fechar a festa em Old Trafford.

Comentários