Competições

» O JOGO

Com uma boa sequência de resultados, o Manchester United recebeu no Old Trafford, o Manchester City pela 29º rodada da Premier League. O derby de Manchester acontece 3 dias após a vitória diante do Derby County, que garantiu a classificação para as quartas de final da FA Cup. Com uma vitória para cada equipe nos últimos confrontos, o United buscava repetir o resultado positivo do primeiro encontro na Premier League. O clássico começou com muitas trocas de passes, os visitantes com um estilo mais paciente, esperando o momento certo, enquanto que o United trocando passes e sendo ofensivo.

A estratégia de um jogo mais estudado fez com que a primeira finalização acontecesse aos 9 minutos, com Sterling recebendo cruzamento na esquerda e chutando cruzado para defesa do De Gea. A primeira finalização red devils aconteceu aos 15 minutos, com Daniel James recebendo passe do Bruno Fernandes e chutando com pouco perigo para o goleiro Ederson. Como característica, o City ficava com a bola, chegando a ter 70% de posse de bola, mas não conseguia oferecer perigo, uma vez que encontrava uma defesa muito bem posicionada, sem oferecer espaços, já o United além de se defender bem, encontrava mais liberdade para chegar na área adversária.

Os espaços encontrado pela equipe red devil poderia ter se transformado em gol aos 27 minutos, quando Matic lançou para o Martial, o francês ganhou a disputa com o Fernandinho e invadiu a área, mas a tentativa do chute cruzado saiu no meio do gol, facilitando a defesa do Ederson. O camisa 9 não desperdiçou a segunda chance quando o Bruno Fernandes em cobrança de falta tocou por cima do Aguero e viu o Martial livre chutar de primeira e contar com a falha do Ederson para abrir o placar aos 29 minutos.

A vantagem no placar animou a torcida e empurrou o time, que poderia ter ampliado aos 31 minutos, quando o Williams cruzou e o Bruno Fernandes que chegou um pouco atrasado cabeceou pra longe do gol. Por muito tempo o United segurou o City em seu campo de defesa, apesar de trocar muitos passes e ter mais posse de bola, não conseguia oferecer perigo e ainda foi pressionado e viu o adversário criar boas jogadas.

» SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa começou com os visitantes buscando o empate, até conseguiram, mas o árbitro assistente marcou a posição de impedimento do Agüero após receber passe do Sterling e marcar da entrada da área aos 47 minutos, o VAR confirmou o acerto do bandeirinha. No minuto seguinte, o United quase marcou o segundo gol, no lance que o Cancelo recuou para o Ederson e o goleiro não conseguiu dominar, o Martial estava próximo e foi para o lance, mas o brasileiro conseguiu afastar a bola. Os lances nos primeiros minutos trouxeram ânimos para as duas torcidas, que depois viram os times voltarem a trocar passes, agora com mais equilíbrio na posse de bola.

Com pouco perigo oferecido na primeira etapa, o City assustou com o chute do Foden da entrada da área, aos 55 minutos, que foi colocado para escanteio pelo De Gea. Com o sistema defensivo funcionando bem, a posse de bola adversária que voltou a ser maior, não era um problema para um United que mesmo sem a bola controlava a partida, fechando seus espaços, fazendo o City tocar e deixar espaços para jogadas em contra-ataque, como a que aconteceu aos 69 minutos, quando o Wan-Bissaka recuperou a bola e lançou para o Daniel James, o camisa 21 subiu ao ataque pela direita, invadiu a área e chutou cruzado para boa defesa do Ederson.

Quando pressionado, o United contou com o De Gea fazendo grande defesa no chute cruzado do Gabriel Jesus aos 74 minutos. Apesar do sistema defensivo funcionar bem, Solskjaer decidiu proteger ainda mais a defesa, colocando McTominay no lugar do Martial e trocando Williams por Bailly. As substituições deixou o City com mais posse de bola, mas com menos espaços, fazendo com que suas linhas subisse mais. Nos minutos finais, a partida foi ficando mais dramática para o City, que buscava o empate a qualquer custo, mas que acabou sofrendo o segundo gol no último minuto, quando o Ederson tentou o passe para o Mendy e entregou a bola nos pés do McTominay, que chutou de primeira e marcou um belo gol no teatro dos sonhos.

Detalhes

Escalações

Manchester United: De gea, Lindelöf, Maguire, Shaw; Wan-Bissaka, Fred, Matic, Williams (Bailly 77′); Bruno Fernandes (Ighalo 87′); Daniel James e Martial (McTominay 77′)

Manchester City: Ederson, João Cancelo, Fernandinho, Otamendi, Zinchenko (Mendy 76′); Gundogan, Rodri, Foden; Bernardo Silva (Mahrez 59′), Sterling e Agüero (Gabriel Jesus 58′)

Gols

Manchester United: Martial (29′) e McTominay (95′)

Cartões Amarelos

Manchester United: Fred (41′)

Manchester City: Fernandinho (28′), Rodri (32′) e Cancelo (58′)

Comentários