Competições

» PRÉ-JOGO

Depois de perder para o Chelsea na rodada passada, o United conta com a volta de Blind para enfrentar parada dura no Goodison Park. Apesar de mal na tabela, o Everton costuma complicar em jogo contra o United e tentará dificultar o máximo para os comandados de van Gaal. Coberto por especulações, o United tem de se concentrar no campeonato, que, diga-se, ainda não acabou.

» O JOGO

Logo no começo da partida, o Everton conseguiu marcar. Em contra ataque muito veloz, McCarthy ficou com a sobra de passe enfiado por ele próprio, driblou dois marcadores do United e tirou de De Gea. Um lindo gol do volante, e 1 a 0 no placar.

Logo na sequência, Fellaini roubou a bola de Barry e olhou Howard, mas perdeu a chance de empatar e chutou por cima. Mais tarde, o United fez boa jogada pela direita, mas Blind chutou fraco de direita, e Howard pegou sem problemas.

Munido de uma posse de bola extremamente superior, todavia estéril, o United finalizava pouco, e quando o fazia raramente levava perigo. E como quem não faz toma, o Everton marcou o segundo. Baines cobrou escanteio com perfeição, Stones se antecipou à Fellaini e testou forte para ampliar o placar. 2 a 0 Toffees.

» SEGUNDO TEMPO

Para a etapa final, van Gaal sacou o nervoso Fellaini e colocou Falcao Garcia em campo. Com isso, Rooney recuou um pouco para a armação no meio e Falcao posicionou-se mais a frente. A equipe continuava com muita posse de bola, mas pecava na criação e ainda atacava pouco.

Até pensando nisso, o técnico holandês colocou Di Maria em campo no lugar de Mata, e a equipe começou a tentar sair um pouco do protocolo de jogadas já apreendido e neutralizado pelo sistema defensivo do Everton. No entanto, uma vez que o Everton defendia-se e esperava uma bola para fechar o jogo, em contra ataque, não demorou para Mirallas sair de trás da zaga vermelha, que dormiu, e, cara a cara com de Gea, fazer o terceiro.

O United tinha toda a posse. Finalizava bem mais que os Toffees. Entretanto, estamos falando de um esporte que não tem prognósticos exatos, nem ao menos constantes, e o Everton, contra as estatísticas, dominava claramente o jogo.

E o jogo terminou com os três a zero no placar e uma mensagem clara: em meio a todas essas – animadoras, eu sei- especulações se fortalecendo de sobre possíveis reforços para a próxima temporada, é preciso que não se esqueça que o campeonato ainda não acabou. A derrota de hoje, segunda consecutiva, deixa-nos em quarto, ainda que longe do quinto, Liverpool, cada vez mais longe do terceiro, Arsenal, que apesar de apenas um ponto a frente de nós, tem dois jogos a fazer.

Detalhes

Escalações

Everton: Howard; Coleman, Stones, Jagielka, Baines; McCarthy, Barry, Barkley (Naismith 87′), Osman (Mirallas 67′), Lennon e Lukaku (Koné 86′)

Manchester United: De Gea; Valencia, Smalling, McNair, Shaw; Blind, Herrera, Fellaini (Falcao 45′); Mata (Di Maria 63′), Young e Rooney (van Persie 89′)

Gols

Everton: McCarthy (4′), Stones (35′) e Mirallas (74′)

Cartões Amarelos

Everton: Barry (40′)
Manchester United: Fellaini (11′) e Shaw (64′)

Por Breno Zonta
www.mufcbr.com

Comentários