Competições

» O JOGO

Procurando manter a sequência de vitórias conquistadas nas últimas três partidas, o Manchester United foi enfrentar o Bournemouth fora de casa, pela 11º rodada da Premier League. Como característica da temporada, em partidas com equipes menos técnicas, a equipe red devil procurar ter o controle e foi isso que aconteceu. O United vencia as disputas, tinha mais posse de bola, se movimentava no campo de ataque e não deixou o adversário jogar no início da partida, contudo quem primeiro ofereceu perigo foi a equipe mandante.

Após confusão dentro da área para saber quem ficaria com a bola, Wilson conseguiu ganhar a disputa pela bola, a desviando e fazendo passar muito próximo a trave, antes de sair linha de fundo, aos 15 minutos. Com o Bournemouth conseguindo equilibrar a partida, o United demorou para conseguir ter seu primeiro lance de perigo. O que só aconteceu aos 20 minutos, quando em cobrança de falta próximo a linha de fundo, Rashford cobrou dando passe para Daniel James na entrada da área, o camisa 21 chutou de primeira, a bola fez uma curva e passou com perigo ao lado esquerdo do Ramsdale.

O United foi encontrando dificuldades e não conseguia finalizar, o Bournemouth se defendia com 2 linhas bem posicionadas, porém quando encontravam espaços para atacar, conseguiam sair em velocidade, principalmente pelas laterais.  E em um dessas jogadas criou uma boa oportunidade, quando aos 26 minutos, Callum Wilson que estava na direita, deu longo passe para Joshua King, o ex-red devil avançou pelo meio e deu passe para Fraser na esquerda, arriscar o chute cruzado sem perigo e de fácil defesa para o De Gea.

Sem conseguir apresentar um bom futebol, a equipe red era pressionada com mais frequência, até que o Bournemouth abriu o placar aos 45 minutos, em jogada que começou em profundidade e terminou com o Smith cruzando da direita, Joshua King recebeu dentro da área, dominou e se livrou da marcação do Wan-Bissaka com o lance um lance acrobático para mandar para o fundo das redes.

» SEGUNDO TEMPO

No retorno para segunda etapa era de se esperar um United mais ofensivo e pressionando, porém o posicionamento das duas linhas defensivas do Bournemouth anulavam qualquer investida red devil. Sem espaços, restava ao United as jogadas de criação e individuais do Andreas Pereira, que quase empatou aos 56 minutos, ao fazer uma bonita jogada se livrando de 2 marcadores e chutando de fora da área, mas o Ramsdale conseguiu defender mandando para escanteio.

Percebendo que o time não conseguia criar, Solskjaer decidiu mudar, colocando Lingar no lugar de Andreas Pereira e então que o time perdeu poder de criação e ficou ainda mais perdido em campo. Os donos da casa souberam jogar com o resultado, se fechavam quando pressionado, contavam com um adversário sem criação e atacavam em velocidade, quase sempre pegando a defesa red devil desprevenida.

Em um desses ataques com velocidade, o Bournemouth por muito muito pouco não ampliou o placar, aos 74 minutos, Callum Wilson recebeu na direita e rolou para Harry Wilson, que dominou e chutou colocado da entrada da área, o gol não aconteceu graças a uma grande defesa do De Gea. O United ainda teve um boa oportunidade com Greenwood aos 81 minutos, quando o camisa 26 recebeu passe por alto e chutou de primeira acertando a trave.

A equipe red devil seguiu pressionando e no minuto seguinte, McTominay arriscou da entrada da área, Ramsdale não conseguiu encaixar, mas a zaga afastou o perigo. A pressão nos minutos finais não levaram perigo e a vitória do Bournemouth se confirmou, quebrando a sequência de 3 vitórias seguidas do Manchester United.

Detalhes

Escalações

Bournemouth: Ramsdale, Smith, Cook, Aké, Rico; Biling, Lerma, Wilson, Fraser; Wilson e King

Manchester United: De Gea, Wan-Bissaka (Williams 80′), Lindelöf, Maguire, Young; McTominay, Fred, James (Greenwood 79′), Rashford, Pereira (Lingard 67′) e Martial

Gol

Bournemouth: Joshua King (44′)

Cartões Amarelos

Bournemouth: Lerma (34′), Cook (54′), Fraser (61′) e Callum Wilson (90+1′)

Manchester United: Fred (34′), Lindelöf (63′) e Young (66′)

Comentários