Pré-Jogo

A 22ª rodada da PremierLeague teve um desfecho nada ideal para o maior campeão da competição. Jogando no Stamford Bridge, o Manchester United perdeu para o Chelsea com um hat-trick do Samuel Eto’o e descontou com o Chicharito (sempre ele contra os Blues).

Além de seguir na cola dos líderes, a vitória dos Blues foi ainda mais importante para um dos seus maiores ídolos: José Mourinho. A 100ª do SpecialOne manteve o clube na disputa pelo título. O fato curioso é que sua primeira vitória na era moderna do campeonato também foi contra os RedDevils. Por outro lado, o David Moyes mantem sua sina de não vencer os top four (Chelsea, Arsenal, L’pool e o United) fora de casa. Mesmo treinando o clube de Manchester, o escocês aumentou seu infeliz tabu para 48 jogos consecutivos na PremierLeague. A última chance será contra o Arsenal.

O Jogo

A surpresa para os torcedores do United começou logo na escalação. Mesmo depois de fazer uma boa partida contra o Swansea, Kagawa foi sacado da linha de 3 do meio-campo ofensivo e Ashley Young entrou pela esquerda. Januzaj foi deslocado para o meio, enquanto o Valencia seguiu intocado pelo flanco direito. Entre os volantes, Phil Jones foi escalado ao lado do Carrick.

Embora parecessem estranhas, as alterações deram certo no início do jogo. Durante 10 minutos, o United começou mordendo o Chelsea e sufocou o time no Stamford Bridge. Rafael e Valencia atacavam bem pela direita e criou algumas chances. Mas faltou “aquele” cara pra finalizar a jogada, e este não seria o Welbeck.

Passados os 10 minutos, o Chelsea começou a equilibrar as ações. O primeiro chute foi com o Ramires, mas nas mãos de DeGea. A postura era ideal, a marcação também. Porém, na primeira grande chegada dos Blues, o camaronês Samuel Eto’o começou a mostrar serviço e acertou um belo chute para vencer o De Gea, com desvio do Carrick. 1-0 aos 17 minutos.

Para variar, o time não reagiu muito bem ao gol. O Chelsea cresceu por mais 10 minutos e a resposta do United só veio com um chute do Evra aos 27 minutos. Januzaj também fez uma boa jogada, porém faltou a conclusão de algum jogador por ali. Aos 37 minutos, o Welbeck recebeu na pequena área com grandes chances de empatar o jogo. Porém, o chute foi travado pela zaga azul.

Após esse crescimento do Manchester, o Chelsea respondeu com o Oscar, tentando um voleiodentro da área, sem tanta precisão. Na sequência, um lance capital matou o time de vez. Após uma cobrança de escanteio, e o rebote sobrando para o Chelsea, Cahill achou Eto’o sozinho na área, com plenas condições dadas pelo Vidic, e o camaronês não hesitou em fuzilar o gol mais uma vez. 2×0 para o Chelsea.

Segundo tempo

Na volta para o segundo tempo, outro golpe. Em mais uma bola parada, Willian cobrou o escanteio e a bola sobrou novamente para Eto’o fazer o 3º gol aos 3 minutos. Com tantos azares e desprazeres, o uma notícia boa foi a contusão do Evra, que nessa temporada não tem agradado a ninguém. Para a tristeza, nosso reserva é o Buttner. O Chelsea manteve o controle do jogo, mesmo com o gol do carrasco Chicharito. Em jogada de Welbeck e um chute do Jones, Chicharito estava lá livre e quase impedido para fazer o solitário gol do Manchester United no Stamford Bridge. Mourinho ainda chegou a colocar o Matic para estrear.

Ao final da partida, o zagueiro Vidic foi expulso após uma entrada desnecessária no Hazard. 3 jogos de suspensão para o sérvio. Ainda nos acréscimos, o time estava entregue. Rafael ainda deu um carrinho assustador e levou amarelo. E assim terminou, 3-1 para o Chelsea, terceiro colocado, a dois pontos do líder Arsenal. Enquanto o Manchester United ficou definitivamente fora da disputa pelo título (se alguém ainda acreditava) e quem sabe até da Liga dos Campeões. Se o Everton vencer nessa segunda-feira o West Bromwich, atingirá os 44 pontos e ficará a 7 pontos do Manchester.

Repercussões

O foco do David Moyes agora será a Capital OneCup. O jogo contra o Sunderland ganha ainda mais importância para o treinador que segue pressionado. Um possível fracasso contra os Black Cats será determinante para a sequência do time na temporada, já que só terá a Liga dos Campeões para disputar de modo não tão convincente.

Para o Mourinho, o recorde de 100 vitórias em 142 jogos de Premier League (superou o SAF com 100 vitórias em 162 jogos) não foi mais importante que os três pontos. O time segue sólido e em breve terá um confronto decisivo contra o Man City. Próximos três jogos: West Ham (C), Man City (F) e Newcastle (C).

Para o David Moyes, dois lances fizeram a diferença no jogo. Se tivesse um Rooney ou van Persie no comando do ataque, quem sabe o resultado poderia ser diferente. Próximo confronto dos RedDevilsna PremierLeague será em OldTrafford, contra o Cardiff City comandado pelo Solskjaer. Próximos 3 jogos: Cardiff (C), Stoke (F) e Fulham (C).

Detalhes

Escalações

Chelsea: Cech; Ivanovic, Cahill, Terry, Azpilicueta; Ramires, David Luiz; Willian (Matic 86′), Oscar (Mikel 68′), Hazard e Eto’o (Torres 79′).

Manchester United: De Gea; Rafael, Evans, Vidic, Evra (Smalling 51); Valencia, Carrick, Jones, Young (Hernandez 56); Januzaj e Welbeck.

Cartões Amarelo

Chelsea: David Luiz

Manchester United: Young, Valencia e Rafael

Cartão Vermelho

Manchester United: Vidic

Por Jardel Messias
www.mufcbr.com

Comentários