Competições

» O JOGO

O confronto começou muito movimentado, mas pouco objetivo, uma vez que as equipes se movimentavam e trocavam muitos passes, mas não conseguiam criar boas oportunidades. O primeiro lance de perigo só aconteceu aos 10 minutos, Gana cruzou da direita, Richarlison ganhou no alto do Fred e chutou com perigo, mas o De Gea fez a defesa. Dois minutos depois o Everton abriu o placar, após arremesso lateral para dentro da área, Calvert-Lewin ganhou a disputa com Smalling e meio que sem querer deu passe para o Richarlison emendar um quase voleio e fazer um golaço.

A vantagem no placar deixou o Everton com mais liberdade em campo, o United não conseguia criar e teve sua primeira finalização aos 19 minutos, quando Pogba lançou do campo de defesa, Rashford recebeu dentro da área e desviou, mas a bola passou por cima do gol adversário. Com muitos erros e sem conseguir apresentar o futebol de partidas anteriores, os red devils faziam uma péssima partida, enquanto que os toffees conseguiam impor sua proposta de jogo.

Melhor em campo, o Everton ampliou aos 27 minutos, em jogada de contra-ataque, Gana deu passe para Sigurdsson, o camisa 10 avançou um pouco e chutou de fora da área, De Gea não conseguiu defender. O resultado permitia que o Everton administrasse o placar, até pelo fato do United não demostrar poder de reação, uma vez que o meio de campo e o ataque não funcionavam, o que de fato se comprovou, pois os comandados do Solskjaer não ofereceram perigo até o término do primeiro tempo.

» SEGUNDO TEMPO

A partida recomeçou com duas mudanças no United, Young e McTominay nos lugares de Jones e Fred, contudo as alterações não surtiram efeito na maneira como o United jogava. Os comandados do Solskjaer não conseguiam jogar após a linha central, enquanto que o Everton tinha mais poder ofensivo e criava mais, chegando ao terceiro gol aos 55 minutos, Digne aproveitou o corte da zaga após cobrança de escanteio e chutou de primeira, marcando um belo gol. O United sentiu o gol sofrido, quando buscava mudar o ritmo do jogo, permitindo ainda mais que o Everton dominasse mais a partida.

Com domínio total da partida, o Everton marcou o quarto gol aos 62 minutos, a defesa do United se atrapalhou, o Sigurdsson deu passe em profundidade para Walcott, que sem marcação bateu na saída do De Gea, ampliando o placar. O resultado fez com que o ritmo dos toffees diminuíssem, principalmente pelo fato do United errar muitos passes e não conseguir, em nenhum momento, se impor em campo.

A melhor chance red devil, aconteceu aos 69 minutos, em raro momento da equipe conseguir trocar passes no campo adversário,  Martial recebeu passe do Pogba, invadiu a área e fez boa jogada individual e arriscou o chute, que acabou saindo pela linha de fundo. Graças a diminuição do ritmo de jogo do Everton, o United conseguiu ter um pouco mais de liberdade e até oferecendo um pouco de perigo, como aos 74 minutos, com Matic, que recebeu passe na entrada da área do Pogba, entretanto finalizou para fora. O United não mudou o péssimo futebol apresentado e o Everton apenas administrou o resultado até o final da partida

Detalhes

Escalações

Everton: Pickford, Coleman, Keane, Zouma, Digne (Jagielka 85′); Gana (McCarthy 76′), Schneiderlin, Bernard, Richarlison (Walcott 50′), Sigurdsson; Calvert-Lewin

Manchester United: De Gea, Lindelöf, Smalling, Jones (Young 45′), Dalot; Fred (McTominay 45′), Matic, Martial, Rashford (Andreas Pereira 76′), Pogba; Lukaku

Gols

Everton: Richarlison (12′), Sigurdsson (27′), Digne (55′) e Walcott (62′)

Cartões Amarelos

Everton: Gana (22′)
Manchester United: McTominay (67′)

Comentários