Competições

» O JOGO

Após a eliminação na FA Cup, o Manchester United volta a focar na busca por uma vaga na próxima Champions League, para isso recebeu o West Ham, que não corria risco de ser rebaixado. A derrota do Leicester deixava mais fácil a chance de entrar no grupo de classificados para a competição continental. Para evitar dor de cabeça, o United iniciou a partida partindo para o ataque, logo aos 2 minutos, Martial recebeu passe na direita, entrou na área e chutou cruzado, mas o Fabianski afastou o perigo. Ainda no mesmo minuto, Greenwood chutou da entrada da área, contudo o chute fraco não ofereceu perigo.

O ritmo com pressão red devil durou pouco tempo, a equipe trocava muitos passes, entretanto passou a encontrar uma defesa mais avançada e que não deixava espaços. Os Hammers se defendiam muito bem e buscavam encontrar um erro para iniciarem um contra-ataque, contudo o United não errava e os visitantes, aproveitando o momento que a pressão diminuiu, passaram a trocar passes e conseguiram manter a posse bola de bola no campo de ataque. Nenhuma das equipes conseguiam impor um ritmo forte que pudesse criar oportunidades de gol.

Na parte final o United voltou a finalizar, Rashford arriscou o chute de longe, mas parou na boa defesa do Fabianski. A primeira etapa tinha todos os indícios de que iria acabar sem gols, uma vez que as equipes trocavam muitos passes sem objetividade, mas tudo mudou aos 44 minutos, quando Declan Rice aproveitou a cobrança de falta ensaiada e chutou forte, Pogba na tentativa de proteger o rosto, colocou a mão na bola dentro da área. O lance foi analisado pelo VAR e o pênalti foi marcado, Antonio cobrou no lado esquerdo, De Gea pulou para o lado contrário e o placar foi aberto no último lance do primeiro tempo.

» SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa começou com o United trabalhando mais a bola próxima a área adversária, contudo não conseguia finalizar. Quando finalmente conseguiu furar o bloqueio, empatou o placar aos 50 minutos, com Greenwood tabelando com Martial e finalizando dentro da área, o chute rasteiro e com força tirou qualquer chance de defesa do Fabianski. Os Hammers seguiram jogando com as linhas avançadas, que contibuiu para a boa oportunidade aos 60 minutos, com Bowen recebendo na esquerda e chutando cruzado, a bola desviou no Williams e ofereceu perigo ao De Gea, que defendeu mandando para escanteio.

O ritmo red devil diminuiu, era visível que o cansaço não permitia impor um jogo mais ofensivo. O West Ham aproveitou para arriscar um pouco mais e jogar com mais velocidade e intensidade, que quase permitiu voltar a ter vantagem no placar. Em um rápida jogada ofensiva aos 67 minutos, Declan Rice recebeu livre no meio e foi avançando até chutar com efeito de fora da área, que para sorte do United, saiu pelo lado esquerdo do gol defendido pelo De Gea. Além do lance de perigo, o West Ham manteve muito mais posse de bola e conseguiu se manter no campo de ataque entre os 60 e 72 minutos.

Buscando mudar o placar, os times fizeram substituições nos minutos finais. Os visitantes mexendo na lateral e no ataque, enquanto que o United colocando Ighalo, que no primeiro minuto em campo aproveitou o cruzamento rasteiro do Greenwood, mas o chute não ofereceu perigo aos 84 minutos. A partida até ganhou mais movimentação nos últimos cinco minutos, mas os times ficaram devendo no setor de criação e as vários passes trocados não criaram oportunidades de gols e a partida terminou empatada, garantindo ao United a entrada no grupo de classificados para próxima Champions League.

Detalhes

Escalações

Manchester United: De Gea, Fosu-Mensah (Wan-Bissaka 46′), Lindelöf, Maguire, Williams; Pogba, Matic; Greenwood, Rashford (Ighalo 84′), Bruno Fernandes e Martial

West Ham: Fabianski, Johnson, Diop, Ogbonna, Cresswell (Masuaku 74′); Rice, Soucek; Bowen (Yarmolenko 90′), Fornals, Noble e Antonio (Haller 77′)

Gols

Manchester United: Greenwood (50′)

West Ham: Antonio (46′)

Cartões Amarelos

Manchester United: Fosu-Mensah (43′), Rashford (69′) e Bruno Fernandes (80′)

West Ham: Masuaku (80′)

Comentários