Competições

» PRÉ-JOGO

Depois de empatar no Abbey Stadium por 0 a 0, em uma das piores atuações do United na temporada, a equipe de Louis van Gaal promete ir com força total em Old Trafford para, além de garantir a vaga nas oitavas de final da F.A. Cup, mostrar que tem capacidade de jogar um bom futebol. Ainda sem Carrick e Rafael disponíveis, van Gaal poupará apenas alguns titulares, promovendo time fortíssimo no Teatro dos Sonhos. Quem se lembra da primeira partida, sabe: a vaga é obrigação. Espera-se mais futebol.

» O JOGO

Logo no começo do jogo, um susto: Blind errou na saída de bola e deu um contra ataque letal para o Cambridge; Elliott carregou e, na cara do gol, desperdiçou grande chance, chutando na trave. Superado o susto, a equipe começava a portar-se de forma mais organizada em campo, em um 4-4-2 Diamond.

Blind fazia a ligação e Di Maria, Rooney e Fellaini, um pouco mais à frente, dialogavam com Mata na armação das jogadas, aparecendo de trás. Aos 17 minutos, Rooney conseguiu levar perigo; depois de dar belo corte para a esquerda, da entrada da área, bateu forte para segura defesa do goleiro Dunn. Na sequência, McNair apareceu à frente, pela ponta direita, e quase achou van Persie pelo meio, mas a zaga afastou.

Quase dez minutos mais tarde, aos 25, sai o gol. Mata começa a jogada pelo meio, carrega a bola e abre na esquerda para Di Maria cruzar na cabeça de Fellaini, que escora para o meio, encontrando o mesmo Mata, que, com um ligeiro desvio, colocou nas redes. 1 a 0 United. A equipe usava e abusava de cruzamentos para dentro da área, com Fellaini sempre marcando presença como referência.

E foi dessa forma que saiu o segundo gol: aos 31 minutos, depois de escanteio batido por Di Maria, Fellaini finalizou, a bola bateu na zaga do Cambridge e voltou para van Persie que, com muito estilo, cruzou na cabeça de Rojo, que escorou para o fundo do gol. Seu primeiro pelo United e 2 a 0 no placar. Na sequência, Di Maria lançou Rooney, que tentou pegar de sem pulo e marcar um golaço, mas pegou mal na bola.

E assim terminou a primeira etapa. Nem tanta criatividade, insistência em cruzamentos e uma diferença abissal entre os clubes, refletida em um 2 a 0 protocolar e minimamente satisfatório. Mas ainda quer-se mais. Que não fizesse mais gols na segunda etapa, mas melhorasse a movimentação no meio campo e criasse chances reais de gol.

» SEGUNDO TEMPO

Na volta para a etapa final, mesmos times. E a primeira chance da segunda etapa veio de cruzamento de McNair – que vinha fazendo ótima partida, diga-se – pela direita, na cabeça de van Persie , que quase marcou o terceiro. No lance subsequente, outra chance para van Persie que, no rebote de chute de Rooney, desperdiçou grande oportunidade, debaixo do gol.

Aos 58 minutos, Di Maria bateu novo escanteio mas, desta vez, tentou surpreender o goleiro Dunn, e quase marcou um golaço olímpico, se não fosse a intervenção do goleiro do Cambridge. Cinco minutos mais tarde, cavadinha sensacional de Di Maria para van Persie, dentro da área, girar e bater cruzado; teria feito o terceiro, se não fosse mais uma boa aparição do goleiro Dunn.

Em jogada bem trabalhada do United, nova boa defesa de Dunn, dessa vez em pancada de fora da área de Di Maria, aos 68. Pensando nos próximos jogos, van Gaal logo sacou van Persie e Di Maria e os substituiu por Wilson e Herrera, respectivamente. E o garoto de 19 anos novamente aproveitou a chance e mostrou porque é grande aposta do técnico holandês: da entrada da área, lindo chute cruzado de perna esquerda, para ampliar no Old Trafford. United 3 a 0.

Faltando cerca de cinco minutos para o fim do tempo regulamentar, o United ainda criava chances, mas em ritmo mais lento. O 3 a 0 já conformara o time até então e, apenas vez ou outra, o time lançava-se à frente. No final, McGeehan quase descontou para o Cambridge, mas foi só.

Um 3 a 0 de dois times de realidades extremamente díspares. Uma vitória tranquila muito mais por essa diferença. Mas, como contra o Leicester no último fim de semana, há de se dizer: o time melhora no 4-4-2, sobretudo quanto à criatividade. Mas ainda é preciso melhorar mais, pois, como é sabido, a classificação – cá entre nós – era obrigação.

[divide icon=”square” color=”#000000″]

Detalhes

Escalações

Manchester United: De Gea; McNair, Smalling, Evans, Rojo (Young 81′); Blind, Fellaini; Mata, Rooney; Di Maria (Herrera 70′) e van Persie (Wilson 65′)

Cambridge United: Dunn; Tait, G. Taylor, Coulson, Donaldson; Champion, Elliott; Simpson (Kaikai 60′), Nelson (Miller 86′), McGeehan e Chadwick (Morrissey 50′)

Gols

Manchester United: Mata  (25′), Rojo (31′), Wilson (73′)

Por Breno Zonta
www.mufcbr.com

Comentários