Pré-Jogo

Após uma semana agitada, o United entrou em campo contra o combinado do campeonato Australiano. Com grandes mudanças em relação a partida passada, o time entrou em campo buscando a primeira vitória sob o comando de David Moyes.

O Jogo

Com mais entrosamento, qualidade e titulares em campo, o United pode apresentar um melhor futebol no início da partida. As trocas de passes mais a velocidade dos Wingers deram mais movimentação ao setor de criação do United, porém a primeira chance de gol veio na cabeçada de Phil Jones, após cobrança de escanteio, aos 5 minutos. Um minuto depois, Lingard recebeu de Giggs e tocou para Welbeck, mas o camisa 19 chutou em cima do goleiro Covic.

Com o domínio da partida, o United abriu o placar aos 10 minutos com o jovem Lingard, que recebeu passe de Giggs depois da “cortada de luz” de Welbeck e chutou no canto esquerdo do goleiro. Um minuto depois o combinado australiano assustou Lindegaard, com o chute forte de fora da área com Broich, mas a bola passou por cima da meta red devil.

As jogadas aéreas foram requisitadas em alguns momentos pelo United, especialmente pelo lado direito, mas com pouco ou nenhum perigo, excessão para a cabeçada de Evra depois da cobrança de escanteio aos 16 minutos.

Poucas foram as investidas do A-League All Stars, o time jogava recuado e quando buscava o ataque parecia está perdida em campo, uma vez que poucos jogadores se movimentavam, além de pararem na boa marcação do United, mas aos 26 minutos, Lindegaard salvou o United de sofrer o gol de empate, após Bojic chutar cruzado.

Depois do susto do combinado australiano o United voltou a dominar a partida e ampliou o placar aos 34 minutos, depois da bela “triangulação” entre Lingard, Giggs e que resultou na finalização do camisa 19, na saída do goleiro Covic. Welbeck quase ampliou o placar aos 39 minutos, após receber belo lançamento de Zaha, se livrar do marcador e driblar o goleiro, mas chutou em cima da zaga.

A última tentativa do time australiano foi com o chute de Berisha, mas Rafael pulou e bloqueou o chute, já Welbeck perdeu uma grande oportunidade pelo lado do United, após receber livre e tentar chutar entre as pernas do Covic, porém a bola bateu no goleiro e saiu pela linha de fundo.

Segundo tempo de gols

A partida reiniciou com o united com mais volume de jogo, em relação ao primeiro tempo. Com as movimentações dos wingers o united conseguia chegar com perigo nas jogadas de linha de fundo. Em uma dessas jogadas, Zaha cruzou, porém a zaga cortou o provável chute de Welbeck aos 49 minutos.

O combinado australiano voltou melhor para o segundo tempo, após 3 substituições durante o intervalo, e conseguiram diminuir o placar aos 51 minutos com Berisha. O camisa 11 recebeu passe de Broich, limpou a marcação de M. Keane e chutou no canto inferior direito de Lindegaard.

Mesmo com o gol sofrido o United continuou com a mesma força e ampliou o placar aos 54 minutos, em um belo chute de Lingard, que recebeu passe de Giggs, pucou o marcador e chutou forte no ângulo, sem chances para o reserva Theo. Zaha oferencendo perigo em suas jogadas individuais, reclamou de penâlti, depois de se livrar da marcação, invadir a área e ser derrubado por Beauchamp, porém o juíz marcou apenas o escanteio.

Na cobrança do escanteio quase saiu o terceiro gol do United, mas Theo defendeu o chute de Lingard. O ritmo das equipes começaram a diminuir, mesmo com das duas substituições do A-League e a entrada de van Persie no lugar de Giggs, pelo United.

Os red devils, voltaram a oferecer perigo na jogada em que Welbeck driblou o goleiro e chutou, mas Beauchamp mandou a bola para escanteio. Na cobrança do escanteio, van Persie mandou para dentro da área e Welbeck subiu e cabeceou para o fundo da rede. Após o gol, Moyes substituiu Welbeck e Carrick por Januzaj e Anderson, respectivamente.

As mudanças surtiram pouco efeito, já que o United ficou “administrando” o placar. O placar foi fechado com van Persie, o holandês recebeu pelo passe do Anderson, mas chutou em cima do goleiro Theo, porém a bola sobrou com Januzaj que tocou para Lingard repassar para o camisa 20 bater com a perna direita e fazer o quinto gol do United. Por muito pouco Zaha não marcou seu gol, porém seu chute apenas “tirou tinta da trave”.

O United teve uma última chance com Januzaj, mas o jovem acabou acertado a trave. O ritmo da partida voltou a diminuir com a grande vantagem do Manchester United no placar. Fim de jogo e o time conquistou a primeira vitória na “Era Moyes”.

Detalhes

Escalações

A-League: Covic (Theo 45′), Beauchamp (Chapman 84′), Boogard, Topor-Stanley, Rose (Bridge 62′), McGlinchey (Grant 62′), Miller (Celski 45′), Bojic (Risdon 45′), Emerton (Currusca 84′), Broich (Williams 73′) e Berisha (Ifill 73′)

United: Lindegaard, Rafael, Ferdinand (M. Keane 45′), Jones e Evra (Fabio 76′), Zaha, Carrick (Anderson 71′), Cleverley e Lingard, Giggs (van Persie 62′) e Welbeck (Januzaj 71′)

Gols

A-League: Berisha (51′)

Manchester United: Lingard (10′ e 54′), Welbeck (34′ e 69′)

Por Anderson dos Santos
www.mufcbr.com

Comentários