Feminino

O Manchester United Women terminou a pré-temporada com duas vitórias e dois empates em quatro jogos. Apesar dos dez gols marcados e apenas três sofridos, é importante olhar para este período não só numericamente, mas também analisar os detalhes que um início de temporada exige.

Primeiramente, o miolo do meio campo chamou a atenção pelas opções que surgem. Katie Zelem e Lucy Staniforth fizeram partidas interessantes neste período, com a capitã Zelem anotando dois gols de falta e um lindo gol de cobertura. Já Staniforth foi titular em alguns momentos e também agradou. A recém chegada Boe Risa se estabeleceu na “volância” e parece ter assegurado seu lugar no time, principalmente pela sua capacidade de distribuição de jogo. Desta forma, é interessante pensar como Skinner vai colocar Jackie Groenen na equipe. A holandesa é, para muitos, a principal e melhor jogadora do time, mas esteve fora das partidas de pré-temporada, pois suas férias foram estendidas em função das Olimpíadas de Tóquio. Junta-se a isso o fato do elenco ainda contar com Hayley Ladd, que é superior às jogadoras supracitadas em termos defensivos. Desta maneira, Skinner tem uma “boa” pulga atrás da orelha para escolher três (ou duas) das cinco atletas para o time titular.

Na defesa, as recém contratadas Blundell e Mannion passaram segurança, principalmente na saída de bola. Aqui é preciso ressaltar que o United não enfrentou equipes muito agressivas ofensivamente na pré-temporada. Então, para saber como a defesa se comportará diante de  ataques mais pesados precisaremos esperar. 

Na frente, Martha Thomas marcou seu primeiro gol com a camisa do United. Se ela veio pra fazer gol, então tudo bem! Destaque positivo também para Alessia Russo que ganhou alguns minutos depois de longo tempo afastada por lesão e para a brasileira Ivana Fuso que tem ganhado mais tempo de jogo a cada partida. Porém, o principal destaque é para Kirsty Hanson. A jovem atacante escocesa marcou três vezes nesta pré-temporada, fazendo a torcida levantar a tag #HansonSzn (temporada da Hanson) nas redes sociais. 

Um alerta pode ficar sobre a participação de Ella Toone, que foi o destaque da temporada passada, mas participou apenas de duas partidas neste período de retorno. A meia/atacante também esteve nas Olimpíadas defendendo o time da Grã-Bretanha e, portanto, teve férias mais longas. Toone foi utilizada como atacante central (popular falso nove) contra o Rangers e acabou um pouco “apagada” em campo. Em tempos de glória, Toone atuava como uma espécie de meia camisa 10, posição na qual Staniforth atuou nesta pré-temporada. Assim, Skinner vai precisar escolher um lugar para pôr a jovem camisa 7 e dificilmente este lugar será no banco.

Por fim, o saldo da pré-temporada é positivo para um time em recomeço depois de tantos problemas. É preciso salientar que, para a temporada 2022/23, a diretoria deve pensar em amistosos contra times mais fortes e de repente uma viagem além dos mares se a situação sanitária mundial permitir. O que resta agora é especular qual será a realidade deste time dentro do campeonato nacional. Vai brigar pelo título, lutar pela vaga na Liga dos Campeões, mofar na quarta posição ou vai ficar no meio da tabela? 

Parceria Man Utd Women Brasil e MUFC BR

Comentários