Antes da criação do Mundial de Clubes da FIFA, houve diversas competições entre clubes de futebol consideradas por muitos como “títulos mundiais de clubes”, consideradas assim por exemplo por boa parte dos clubes, torcedores e imprensa. Em 1999 a FIFA anunciou que no mês de janeiro de 2000, realizaria o primeiro mundial de clubes organizado pela entidade. A competição teria a participação de clubes representantes de todas as federações continentais filiadas à FIFA, mesmo que nem todos os times tivessem sido campeões de suas competições continentais.

O Corinthians foi a primeira equipe a conquistar o Mundial de Clubes da FIFA, em 2000. O anúncio da realização da Copa do Mundo de Clubes da FIFA a partir de 2000 levou o jornal O Estado de S. Paulo a trazer a hipótese que a edição de 1999 poderia ser a última edição da Copa Intercontinental. Porém, o mesmo jornal (edição de 30 de novembro de 1999) confirmou que os patrocinadores da Copa Intercontinental tinham um acerto com UEFA e CONMEBOL para a realização da competição até 2003. A FIFA, por outro lado, não conseguiu realizar o Mundial de Clubes em 2001, 2002 e 2003, pois a edição de 2001 (prevista para julho/agosto de 2001) foi cancelada, em 18 de maio de 2001, e seria realizada uma nova disputa em 2003 e depois cancelada, em função de problemas com patrocinadores e parceiros da FIFA, sobretudo a ISL. Em fevereiro de 2004, a FIFA anunciou a intenção de relançar seu Mundial de Clubes. Após negociações entre a FIFA e os organizadores e patrocinadores da Copa Intercontinental (UEFA, CONMEBOL e Toyota), em maio de 2004 foi anunciado que a Copa Intercontinental seria disputada pela última vez em 2004, e que a partir de 2005 ela seria substituída pela Copa do Mundo de Clubes da FIFA.

A segunda edição do Mundial de Clubes da FIFA ocorreu, em 2005, e a partir desta edição passaram a participar os atuais campeões das seis confederações continentais filiadas à FIFA, com critérios estabelecidos e sem convites: na primeira edição da competição em 2000, o Real Madrid participou como convidado, enquanto os representantes sul-americano e asiático já não eram os atuais campeões daqueles continentes. Participam da Copa do Mundo de Clubes da FIFA os campeões continentais de UEFA (Europa), CONCACAF (América do Norte, Central e Caribe), CONMEBOL (América do Sul), AFC (Ásia), CAF (África) e OFC (Oceania), ou seja, os campeões de todas as federações continentais.

O mundial teve como nome oficial “Campeonato Mundial de Clubes da FIFA” e viria a ser incorporado definitivamente no calendário futebolístico apenas em 2005. A partir de sua primeira edição, o certame já teve três sedes. O torneio de 2000 foi organizado no Brasil, com a final sendo decidida no estádio Maracanã, no Rio de Janeiro. De 2005 a 2008, o Japão foi o país escolhido para abrigar o campeonato, tendo suas finais acontecendo no Estádio Internacional de Yokohama. Em 2009 e 2010, o torneio ocorreu nos Emirados Árabes Unidos, com a decisão tendo lugar no Estádio Sheikh Zayed, em Abu Dhabi. Nos anos de 2011 e 2012 foi realizado no Japão e nos anos de 2013 e 2014 o torneio aconteceu no Marrocos.

A competição teve, até 2015, doze edições, havendo a hegemonia de equipes europeias e sul-americanas. Os clubes da América do Sul foram campeões em quatro ocasiões, em 2000, 2005, 2006 e 2012, quatro conquistas a menos que os europeus, que levaram a melhor em 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2013, 2014 e 2015. Das quatro conquistas sul-americanas, todas são de equipes brasileiras, tendo outro país do continente se sagrado, no máximo, vice-campeão do certame. Já entre as conquistas europeias, quatro são da Espanha, duas da Itália e uma de Inglaterra e Alemanha.


Os critérios para participação são os seguintes: A equipe precisa ser o atual campeão do seu continente filiados a FIFA UEFA (Europa), CONCACAF (América do Norte, Central e Caribe), CONMEBOL (América do Sul), AFC (Ásia), CAF (África) e OFC (Oceania), além do Campeão nacional do país sede, com este último com vaga garantida pela FIFA desde 2007. Quando um clube do país-sede vence o título continental a vaga é transferida para o vice-campeão continental para evitar dois representantes de um só país como na primeira vez em 2000 quando a vaga foi indicada pela CBF (federação do país-sede) ao Corinthians por ter conquistado o Campeonato Brasileiro.

As equipes com mais participações são o Auckland City, da Nova Zelândia, com sete participações e o Al-Ahly, do Egito, com cinco. O Auckland City participou em 2006, 2009, 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015 e o Al-Ahly participou em 2005, 2006, 2008, 2012 e 2013. Já o país que mais cedeu equipes para a disputa foi o México, que apenas não teve representantes na edição de 2005.

O TP Mazembe foi o primeiro clube de fora do continente europeu e da América do Sul a disputar uma final de Copa do Mundo de Clubes. Campeão da África e representando a República Democrática do Congo, ficou com o vice-campeonato na edição de 2010. Em 2013, o Raja Casablanca foi a segunda equipe africana a disputar a final, perdendo para o Bayern de Munique e a primeira equipe africana a fazê-lo tendo sido classificada para a competição através da vaga de campeã do país sede.

O Auckland City, da Nova Zelândia, e o Western Sydney Wandereres, da Austrália, são os clubes mais novos a participarem de uma edição do Mundial. O primeiro foi fundado no ano de 2004 e participou, pela primeira vez, da edição de 2006, enquanto que o time australiano foi fundado em abril de 2012 com participação em 2014.

David Brown, do Auckland City, foi o jogador mais jovem a participar do torneio, ele tinha 16 anos quando participou da edição de 2012.

Títulos Clubes
3 Barcelona e Real Madrid
2 Corinthians
1 Bayern München, Internacional, Internazionale, Manchester United, Milan e São Paulo

.

Wikipédia
Campeões do Futebol

Conheça outros torneios, clicando aqui