Colunas

A última campanha proporcionou um desfecho vexatório

Quinta-feira, 24 de agosto, foi realizado o sorteio da fase de grupos da Uefa Champions League. O United, que estava no pote 2, poderia ser surpreendido com uma combinação que o direcionasse a um “grupo da morte”. Felizmente, as mãos de Totti e Schevchenko proporcionaram um certo alívio aos pupilos de José Mourinho.

Estando no Grupo A, enfrentará Benfica, Basel e CSKA, equipes teoricamente inferiores. Considerando as recorrentes eliminações na primeira fase e o caminhão de dinheiro gasto em contratações, o que esperar dos Red Devils no Grupo A?

>>Histórico recente

As primeiras aparições do United na Premier League foram, até então, satisfatórias. Dois triunfos arrasadores diante de West Ham e Swansea, os quais presenciaram ótimos desempenhos das principais estrelas, e uma vitória consistente contra o (organizado) Leicester. Seja em Old Trafford seja distante de casa, a equipe é operante. Juntando a isso o alto investimento realizado até aqui, inferimos que as expectativas são altas.

Na última edição de Champions League em que esteve, o United enfrentou equipes razoáveis, mas conseguiu não passar de fase e contentou-se com a Liga Europa. Era comandado por Louis Van Gaal. Ademais o baque, a frustração que enterrara o trabalho de holandês antes do término do seu contrato ainda nos assombra bastante, pois os 3 adversários vindouros foram os nossos algozes em 2011-2012 e em 2015-2016.

>>Os oponentes e as previsões

Inicialmente, enfrentaremos o Basel, no Old Trafford. Em um grupo que também contava com a participação do Benfica, o time suiço foi nosso carrasco e protagonizou a eliminação de 2011. 6 anos após o fracasso, não devemos mais temê-los. À época, o fenômeno azul-grená contava com Granit Xhaka e Shaquiri, grandes revelações nacionais, e enfrentava um Manchester precipitado. Hoje, o cenário é mais favorável e o abismo entre as duas equipes ampliou-se. Apesar de esperarem um embate incômodo fora de casa, os ingleses entram com ampla vantagem, contando com a presença da torcida.

Em seguida, o clube viajará mais de 1000 quilômetros para enfrentar o CSKA, na Rússia. Sendo esta a viagem mais desgastante, os fatores elenco e físico devem pesar, já que Mourinho certamente optará por um rodízio e esperará que todos estejam 100% para tal. Jogo delicado, mas que expõe, a priori, os mancunianos como favoritos.

Já em outubro, enfrentaremos o Benfica, no Estádio da Luz. Os portugueses serão, possivelmente, o grande desafio do grupo. Tetracampeões nacional e detentores de um sólido sistema defensivo, os comandados de Luiz Felipe Vieira ainda trazem Jonas e Raúl Jimenez como surpresas ofensivas. Com todos os potenciais titulares escalados, o United tentará mostrar toda sua força nesse embate.

As últimas 3 rodadas trarão, em tese, preocupações menores. Man United, novamente na Inglaterra, jogará diante do Benfica. 3 semanas depois, voltará à Basileia para enterrar de vez todos os pesadelos contra o Basel (palco desagradável, porém em contraste com tempos distintos). Encerrando a primeira fase, enfrentará, à frente de um Old Trafford caloroso e emblemático, o CSKA.

>>Conclusão

Apesar de haver jogado em apenas 4 oportunidades desde o início da temporada, a equipe de José Mourinho demonstra esforço, eficiência e evolução. Mesmo sendo demasiado cedo, arrisco-me a dizer que essa temporada será diferente das 4 anteriores. Ao menos no que se refere à Champions League. Espera-se, portanto, que passe tranquilamente em primeiro lugar, ansioso para voltar à etapa mata-mata.

Como resultados são concretizados apenas empiricamente, aguardemos a estreia e rezemos para que, no dia 5 de dezembro desse ano ou antes, estejamos classificados. A jornada inicia  em 12 de setembro. #GGMU

Comentários