Competições

» PRÉ-JOGO

Pela Premier League, o United jogando em Old Trafford perdeu a oportunidade de emplacar a quarta vitória seguida somando todas as competições e ficou apenas no empate com o Stoke City pelo placar de 1×1 e começa a observar os lideres do campeonato desgarrarem. Mourinho, nesta partida, utilizou os 11 titulares que iniciaram a partida contra o Leicester na rodada anterior.

» O JOGO

Logo de cara, aos 2 minutos, Ibrahimovic após passe de Pogba, tem uma chance clara de gol mas para no goleiro Grant da equipe visitante. E foi assim durante o início do primeiro tempo, um United atacando com 11 no campo de ataque e o Stoke apenas se defendendo.

O acúmulo de chances desperdiçadas no primeiro tempo chamou bastante atenção (quatro delas parando no goleiro Grant, que fez excelente partida). O United demonstrou melhora na criação de jogadas, principalmente com as movimentações de Mata e Pogba e um Ibrahimovic bastante participativo nessa criação, buscando sair da área e fazer com que o United chegasse com um pouco mais de qualidade e perigo no gol adversário.

O Stoke chegava muito forte nos contra-ataques, saindo com bastante velocidade, conseguiu obter um número considerável de chutes no alvo. Em determinado momento do primeiro tempo tinha 3 chutes no gol contra 2 do Manchester United, mesmo com a sua postura defensiva.

Como no primeiro tempo, apesar de ter criado a maior parte das jogadas pelo meio, com infiltrações de Mata e Pogba, o United sentindo uma certa ansiedade pelo fato do gol não sair logo, começou a abusar das jogadas de lado de campo, jogada essa que vinha resultando na maior parte dos gols do time na temporada.

» SEGUNDO TEMPO

De forma desorganizada após a volta do intervalo, os Red Devils enfrentavam extrema dificuldade tanto para atacar como para se defender e foi nesse momento do jogo, nos primeiros 20 minutos da etapa final, que o jogo se equilibrou em chances criadas, posse de bola e volume de jogo.

Mourinho, vendo essa dificuldade, promoveu duas alterações (Rooney e Martial nos lugares de Mata e Lingard respectivamente) e 3 minutos com essas caras novas em campo foram suficientes para que surgisse efeito. Aos 25 minutos, Rooney recebe na área, o zagueiro do Stoke desarma-o mas entrega nos pés de Martial que não desperdiçou e abriu o placar para o United.

Após o gol, o United viveu os seus melhores momentos no segundo tempo, com diversas chances criadas pelos lados do campo com Valencia, Rashford e Martial, mostrando que poderia até mesmo ampliar o placar muito rapidamente, porém, aos poucos foi baixando a intensidade novamente percebendo que o 1×0 poderia ser um bom placar.

Pode-se dizer que o ditado popular do futebol “Quem não faz, toma!” se encaixou hoje. Após falha gravíssima de De Gea que não conseguiu encaixar uma bola rasteira e fez com que ficasse viva na área do United, Allen aproveita a sequência do lance e aos 37 minutos deixa tudo igual. O United até tentou na base da pressão no final tentar fazer o gol da vitória em bolas aéreas, mas ficou por isso mesmo.

Detalhes

Escalações

Manchester United: De Gea; Valencia, Bailly, Smalling, Blind; Pogba, Herrera (Memphis 84′); Lingard (Martial 67′), Mata (Rooney 67′), Rashford; Ibrahimovic.

Stoke City: Grant; Johnson, Shawcross, Martins Indi, Pieters; Cameron, Whelan, Allen; Shaqiri (Bardsley 88′), Bony (Crouch 77′), Arnautovic (Walters 77′).

Gols

Manchester United: Martial (69′).

Stoke City: Allen (82′).

Cartões Amarelos

Manchester United: Valencia, Herrera, Ibrahimovic.

Comentários