Competições

» PRÉ-JOGO

Separados por um ponto na tabela, Arsenal e Manchester United se enfrentam no Emirates Stadium pela 12ª rodada da Barclays Premier League. O jogo marca o encontro das duas equipes mais castigadas por lesões ao longo dessa temporada. Do lado dos Gunners, Debuchy, Walcott, Koscielny e Ozil estão fora; já o United, não teve sorte na parada Data FIFA e conta com uma série de jogadores inaptos para o prélio: Falcao, Rafael, Jones, Evans, Blind e Rojo não jogam. Com as defesas desmanteladas, as equipes vão ter que fazer valer o bom poderio ofensivo que têm para que possam sair vitoriosas do jogo.

»O JOGO

Voltando ao esquema 3-5-2, o Manchester United tentou adaptar o esquema às dificuldades da partida. Problemas como erros na saída de bola e preenchimento dos espaços de forma compacta, que já o eram no inicio da temporada, eram os maiores temores do novo esquema; com o choque de esquemas opostos, a disputa no meio campo prevaleceu. A primeira boa chance do jogo foi dos donos da casa: Chamberlain levou na força até a linha de fundo e cruzou na medida para a cabeçada por cima de Welbeck.

Aos 12 minutos, Wilshere veio carregando a bola na entrada da área e arriscou chute fraco para fácil defesa de De Gea. O Arsenal controlava a posse no meio campo e de certa forma dominava o jogo. No lance seguinte, um milagre do goleiro espanhol em chute frente a frente com Wilshere dentro da pequena área; a equipe londrina apertava o United. Tão logo, com 15 minutos, a primeira substituição na partida: Luke Shaw deixou o campo machucado- já jogava no sacrifício- e van Gaal promoveu a entrada de Ashley Young, que preencheria a ala esquerda da defesa.

Na primeira chance real do United no ataque, em cobrança de falta, Rooney colocou força demais na bola e  desperdiçou boa oportunidade. Na sequência, em enfiada de Sanchez, Chamberlain ficou cara a cara com De Gea que novamente saiu bem e obstruiu a jogada dos Gunners. Aos 33 minutos, foi a vez de Sanchez achar espaço na entrada da área mancuniana e arriscar chute forte para nova intervenção do goleiro espanhol.

Em resposta ao domínio do Arsenal, Di Maria carregou pela direita, deu um corte seco na marcação e buscou o canto direito de Szczesny, que só espiou a bola raspar na trave e sair à linha de fundo. Logo em seguida, em nova arrancada de Di Maria pela direita, Rooney ficou com a bola, todavia fora bloqueado na hora exata por Chambers  e perdeu grande chance de abrir o placar. O United entrara no jogo.

Já no fim da primeira etapa, após cobrança de escanteio e disputa pelo rebote, Welbeck pegou a sobra e, de costas, arriscou um calcanhar sem grande sucesso. A primeira etapa terminou com um início de domínio do Arsenal através da preservação da posse de bola e com um subsequente crescimento do United na partida, que achava mais espaços e começava a levar perigo. O segundo tempo prometia.

»SEGUNDO TEMPO

Logo no começo da etapa complementar, após passe magistral de trivela de Chamberlain, Welbeck arrancou pela esquerda e só parou em De Gea que cresceu frente ao atacante inglês e evitou nova chance de gol dos Gunners. Na primeira chegada do United na segunda etapa, Young cruzou na área, Szczesny saiu mal e, no rebote, Valencia bateu forte cruzado, a bola desviou em Gibbs e estufou as redes londrinas. Aberto o placar no Emirates Stadium: United 1 a 0.

Após o gol, o Arsenal se lançou ao ataque em busca do empate. Em contrapartida, o United se protegia e esperava a oportunidade de um novo contra ataque com Di Maria e Rooney soltos pelos lados. Aos 62 minutos, a pressão do time da casa resultou em perigo em chute forte de Sanchez que, novamente, De Gea defendeu. O espanhol faz uma extraordinária temporada; as defesas dele não são novidade. Em chute de fora da área de Cazorla, outra defesa do arqueiro Red Devil que, acima de tudo, passa segurança.

O Arsenal persistia atacando visando o empate, porém tinha dificuldade de entrar na área do United que marcava com muita aplicação e bravura as investidas da equipe londrina. Aos 77, Giroud, que acabara de voltar de lesão e adentrar na partida, cabeceou por cima do gol de De Gea. Apesar de suportar bem, até então, as chegadas do Arsenal, o United corria os riscos por chamar demais o adversário; se abdicasse de jogar, como o parecia estar fazendo, certamente não aguentaria a pressão dos Gunners. Era preciso continuar atacando.

Aos 82, a pressão continuara, e, em chute cruzado de Cazorla, Blackett salvou quase em cima da linha. Em contra ataque velocíssimo , puxado por um passe lindo de Fellaini, Di Maria e Rooney saíram contra apenas um zagueiro do Arsenal, e o argentino serviu o capitão Red Devil que, frente a frente com Martinez, não desperdiçou e ampliou o marcador no Emirates. 2 a 0.

Mesmo após o árbitro Mike Deen assinalar oito minutos de acréscimo, a equipe do Arsenal se encontrava desgastada em campo, com poucas amostras de que íria buscar um eventual empate. Em novo contra ataque, puxado pela briga e vontade de Rooney, Di Maria teve a chance de matar o jogo quando disparou desde o meio campo sozinho e, na cara de Martinez, tocou para fora. Em resposta, o Arsenal mostrou forças: em chutasso de média distância de Giroud, nada pôde fazer De Gea. Uma golaço do francês para diminuir o placar. O jogo certamente não tinha acabado.

Mas acabou. Vitória grande do United, que suportou a pressão final e mereceu sair vitorioso. Em um jogo enorme, o United mostrou a cara e venceu seu primeiro duelo fora de casa na Premier League. Com os três pontos somados, a equipe de Manchester passa a ocupar a quarta posição na tabela e, acima de tudo, entra de vez na briga pela vaga na próxima Champions League.

[divide icon=”square” color=”#000000″]

Detalhes

Escalações

Arsenal: Szczesny (Martinez 60′), Chambers, Mertesacker, Monreal, Gibbs, Ramsey (Giroud 77′), Arteta, Oxlade-Chamberlain, Wilshere (Cazorla 55′), Welbeck, Sanchez

Manchester United: De Gea, McNair, Smalling, Blackett, Valencia, Carrick, Fellaini, Di Maria, Shaw (Young 15′ (Fletcher 89′)), Rooney, van Persie (Wilson 75′)

Gols

Arsenal: Giroud ( 95′)
Manchester United: Gibbs contra ( 55′) , Rooney (84′)

Cartões Amarelos

Arsenal: Cazorla (65′), Giroud (91′)
Manchester United: Wilson (91′)

Por Breno Zonta
www.mufcbr.com

Comentários