Competições

» PRÉ-JOGO

Depois dos amistosos e eliminatórias para a Euro 2016, a Premier League retorna nesse fim de semana, com o United recebendo a equipe do Aston Villa em Old Trafford pela 31ª rodada. Van Gaal repetirá a escalação vitoriosa nos dois últimos confrontos contra Liverpool e Tottenham, e sabe que vencer é quase obrigação. Vencendo, o United abre oito pontos para o quinto colocado, Liverpool – que já perdera na rodada para o Arsenal ( 4 a 1) -, e continua incomodando o rival City, que, aliás, será o próximo adversário da equipe Red Devil. Vencer é preciso.

» O JOGO

Visivelmente mais confiante, sobretudo devido às últimas duas boas vitórias, o United começou a partida sufocando a equipe do Villa. Trocando passes rapidamente e movimentando bastante o jogo tanto pelas laterais como pelo meio, as chances começavam a fazer-se mais possíveis, e o jogo fluía bem até então.

E como time com confiança é tudo diferente, com pouco mais de 20 minutos, até Rojo arriscou ótima finalização de longe, e a bola, no ângulo, foi espalmada pelas pontas da mão direita de Guzan. Alguns minutos mais tarde, foi a vez de Herrera achar a passagem de Valencia, que cruzou para uma tentativa bonita de voleio de Rooney, porém falha.

A posse era toda da equipe vermelha, entretanto, ainda faltava arriscar mais, finalizar mais. Young pela esquerda era a principal alternativa de ataque. Suas tabelas com Blind, dribles e tentativas de cruzamento, vez ou outra, levavam perigo real à defesa do Villa.

Aos 43 minutos, enfim, o gol. Young fez 1-2 com Blind pela esquerda, e o holandês avançou até a linha de fundo, levantou a cabeça e viu Herrera livre vindo de trás; a bola chegou ao espanhol, que, com calma, dominou e bateu cruzado de canhota, para vencer o goleiro Guzan e abrir o placar no Teatro dos Sonhos. 1 a 0 United.

» SEGUNDO TEMPO

Para a segunda etapa, Tim Sherwood sacou Hutton – machucado – e colocou Bacuna na lateral direita dos Villans. O United voltou o mesmo. E logo que a bola voltou a rolar, Benteke teve clara oportunidade para empatar o jogo. Depois de subida de Agbonlahor pela esquerda e falha inocente de Valencia na marcação, o belga ficou próximo à pequena área, sozinho, contudo, desequilibrado, jogou por cima.

Aos 61 minutos, novamente no 1-2, Valencia e Mata tabelaram, e o equatoriano conseguiu ir ao fundo e cruzar na cabeça de Fellaini; o belga cabeceou consciente, para o chão, mas parou em intervenção rápida, no reflexo, de Guzan. O 1 a 0 no placar, apesar de a posse continuar sistematicamente com o United, não dava tranquilidade para o United, que visava o segundo gol para tal.

Saídas esporádicas de De Gea insistindo no toque de bola, mesmo quando pressionado, davam sustos e colocavam em risco às pretensões de vitória da equipe de van Gaal. Entretanto, tudo se fez mais calmo quando Rooney brilhou. Di Maria arrancou pela esquerda e levantou para a área, Rooney conseguiu dominar e soltar a bomba de perna direita, no ângulo de Guzan.

Quando a calma parecia abençoar Old Trafford, uma cobrança de escanteio aparentemente estranha de Joe Cole acabou resultando em gol de Benteke, após chute da pequena área que De Gea não teve reflexos para defender. 2 a 1 no placar e jogo mais que vivo.

Mas para tranquilizar e sacramentar a vitória, em contra ataque que começou com a roubada de bola de Rooney, e toque para trá de Mata Herrera, inteligentemente, finalizou da entrada da área no contrapé de Guzan. Um lindo gol. O segundo do espanhol, o melhor do jogo. 3 a 1 e fim de papo.

Detalhes

Escalações

Manchester United: De Gea; Valencia, Jones, Rojo, Blind; Carrick, Herrera, Fellaini (Falcao 77′); Mata, Young (Di Maria 70′) e Rooney

Aston Villa: Guzan; Hutton (Bacuna 45′), Okore, Clark, Lowton; Delph, Sanchez, N’Zogbia (Baker 60′), Weimann, Agbonlahor e Benteke

Gols

Manchester United: Herrera (43′ e 92′) e Rooney (79′)
Aston Villa: Benteke (80′)

Cartões Amarelos

Aston Villa: Delph (83′)

Por Breno Zonta
www.mufcbr.com

Comentários